22 abril, 2014

HISTÓRIA


Não deixa de ser interessante a ausência - nas redes sociais e órgãos de imprensa - desta data que, antigamente, era tão comentada: o DESCOBRIMENTO DO BRASIL. Para alguns, entre os quais me incluo, o Brasil, assim como toda a America, além de África e demais regiões da Terra, foi achado e não descoberto. Muitas civilizações já existiam antes de caravelas terem se lançado da Península Ibérca rumo ao Mar Tenebroso.
Em homenagem à efeméride de hoje, aí vai um singelo poemeu.


HISTÓRIA

um dia
o mastro da nau capitânea
estuprou as índias ocidentais
e...

tcham tcham tcham tchammm!

ói nóis aqui
ó!


Ps.: saiba mais sobre como é que os portugueses sentiram o baque quando aportaram em Pindorama clicando no HYPERLINK (palavra realçada).

31 março, 2014

BOA VIAGEM, CUMPADI ORLANDO.


Até hoje, lembro-me de ti, Orlando, perguntando ao Zé pela foto de teu avô. Até escuto tua voz, Cumpadi.
E lá vai a viola vida afora!









08 março, 2014

MULHERES: MAIS UM FELIZ DIA!

O Fratura Exposta retoma as atividades num dia pra lá de bacana. Principalmente, porque o Mundo homenageia estas criaturas divinas. Divinas, nos sentidos estrito e lato. E é por isto que tasco este poemeta composto lá nos antigamente, mas que ainda reflete meus pensamentos nestes atualmentes e, tenho fé, perpetuar-se-á nos futuramente. Arrombei com esta mesóclise, hein?
E vamos poetar!


pra tu vê

deus
um cabôco de muita paciência
(um trem que poderia ter feito num vapt-vupt
optou por investir uma semana da sua santa eternidade!)
fez o mundo e as coisas todas:
as paradas, as móveis e as imóveis
fez o homem
         (os imóveis inventaram os automóveis)
e de uma lasca deste
fez a mulé

pronto o serviço
deu um passo pra trás
enxugou o suor da testa
         (embora o sol só tivesse uma semana de brilho
tava de rachar mamona)
admirou aquela sua obra-prima
         (até pensou umas besteiras mas...)
sorriu satisfeito e disse:
- cuida deste trem todo pra mim, minha filha

no sétimo dia
criou as férias e partiu pra curtir uma ilha famosa
chegou a ser visto flanando pela noite do centrinho da lagoa
(embora ninguém o tenha fotografado
há quem jure ter ouvido um cabel(barb)udo exclamar
ao ver um semelhante a enfiar sementes num barbante:
- jisuis! haja paciência!)

tava feito o paraíso

não fosse este bando de cornos
(alguns estabelecidos
outros candidatos a)
que teimam em não obedecer as gerentas
a gente tava nadando de braçada