26 dezembro, 2007

ANO NOVO, VIDA NOVA?

ANO NOVO, VIDA NOVA?

Como sou mineiro, desconfio até se este marzão aí é de verdade verdadeira. Daí, como sou mineiro, mas não sou bobo, reflito pouco e tudo curto. Desde que não dê cadeia nem doa, é claro!
Pois que mineiro não dorme no ponto: carpe diem, noitem e o que mais aparecem. Manter a inchada sempre afiada é imprescindível. E, se a farinha é pouca ou muita, o importante é lamber os dedos de uma mão enquanto enche o garfo com a outra.
Pra quem não tem a mesma sina - e pros que têm, também - aí vai um mantra pacientemente elaborado por Shascívicus, mediano filósofo pré-socrático (Raquel, minha irmã de Americana e Unicamp deve se lembrar do nascimento deste filósofo). Pode ser utilizado como silenciosa trilha sonora para o meditar ao som de dentadas e goles. Ou não...
E que toda pessoa tenha muito mais de tudo o que deseja pra si.
<{8¬)

“QUEM RI POR ÚLTIMO...

- bom dia!
o nó da gravata
o muito trabalho
o parco salário
o saco do patrão
a prestação vencida
o apito
o fim do dia
e aquele pavor de cruzar
com um maldito trombadinha na esquina
mas...
- até amanhã!
e lá vai sorriso

- olá queridos!
a barba por fazer
o vício do filho
a gravidez da filha
o flagelo da esposa
o presente da amante
à noite
insônia
e aquele cotidiano desespero
de dormir para sempre
mas...
- hoje não querida
e lá vai sorriso

e prepara-se para os melhores dias
sorrindo por entre as rugas
insensatas trepadeiras
a esculpir-lhe o futuro inexorável

... RI O QUE SOBRA”


Ps.: a foto é um milagre da Bunitinha.

22 dezembro, 2007

É MELHOR ACENDER UMA VELA QUE AMALDIÇOAR O GAMBÁ

Tá lá: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a1716147.xml
"DIÁRIO CATARINENSE - Plantão
Geral 22/12/2007 00h19min
Gambá invade subestação da Celesc e derruba energia
Parte da Lagoa da Conceição, na Capital, ficou sem luz por uma hora

Um gambá entrou na subestação da Celesc e causou um curto circuito na noite desta sexta-feira em Florianópolis. Com o incidente, a população da Lagoa da Conceição ficou sem energia elétrica das 22h46min às 23h53min.
O apagão atingiu 100% da Costa da Lagoa, 50% da Lagoa, 6% do Canto da Lagoa e 1% do Itacorubi. O atendimento de emergência da Celesc não soube informar o que aconteceu com o gambá."

E tou eu aqui, tentando encontrar um jeito de comentar este ocorrido. Tá difícil...
O jeito é comprar mais um maço de velas, enquanto não incluem a pomboca como item da cesta básica ilhoa.

{8¬)

20 dezembro, 2007

E CADÊ O CORREDOR PARA ÔNIBUS?

Pessoal, tá lá:
http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a1712312.xml&template=3898.dwt&edition=8987&section=213

“DIÁRIO CATARINENSE, 19 de dezembro de 2007
Capital
Dário garante nova Beira-mar para 2008
Prefeito destaca a importância da avenida continental para a revitalização do Bairro Estreito
(...)
As obras começaram no dia 23 de março de 2006, durante as comemorações do aniversário de 280 anos do município. O projeto inclui o aterro de 180 mil metros quadrados para a construção de duas pistas asfaltadas de duplo sentido, um quilômetro de acesso às vias perpendiculares na região, ciclovia e estacionamento público em diferentes pontos do Estreito, proporcionando vagas para cerca de 500 veículos.
A Beira-mar Continental tem por objetivo ligar a Capital à BR-101, nos dois sentidos, aliviando a saída da cidade para a rodovia e para a BR-282.”

Continha básica: nas condições atualmente oferecidas, um veículo de transporte coletivo de massa, popularmente conhecido como ônibus, transporta cerca de 100 passageiros embolados; cada veículo de transporte individual, também chamado automóvel, transporta, normalmente, 01 motorista. Caso as tais “vagas para cerca de 500 veículos” fossem destinadas a ônibus atenderiam a 50.000 pessoas. Como, muito provavelmente, destinam-se aos automóveis atenderão apenas 500 ou, nos raros momentos em que famílias estejam a passeio, 2.000 pessoas e seus Boby’s e Rex’s, serão privilegiadas.
Pelo visto, a região, com seu tráfego tremendamente congestionado pela alta quantidade de automóveis e estrangulado pelas características geográficas, passará a ter sua quarta avenida beiramar sem ao menos um corredor para ônibus. Fica difícil entender porque o Sr. Jaime Lerner (http://www.jaimelerner.com/ijl/missao.asp ) esqueceu-se de sugerir na consultoria prestada à Prefeitura de Florianópolis a implantação de corredores destinados a dar maior fluidez ao sistema de transporte coletivo de massas de Florianópolis. Certamente sua existência desestimularia uma boa parte dos condutores e passageiros dos automóveis, pois nos veriam – nós, atualmente espremidas sardinhas sacolejantes, circular ágil e confortavelmente.
O Sr. Ildo Rosa, do IPUF, é o primeiro agente administrativo municipal de quem ouvi a palavra MOBILIDADE, num esperançoso sinal de lucidez.
Ó Seo Ildo, rogai por nós!
{8¬)

VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO

Meu povo,
Assim como a maioria das pessoas, nem sei quantos amigos, vizinhos e conhecidos perdi bestamente nesta máquina de moer gente que é o tal trânsito brasileiro, seja nas estradas ou nas cidades. E todas estas perdas foram desnecessárias e evitáveis.
Já morei em várias cidades e estados e, mesmo assim, fico encabulado com a quantidade de acidentes em Santa Catarina. E não resolve por a responsabilidade nos buracos das estradas. Basta ver os acidentes que ocorrem na Av. Beiramar Norte, com suas várias pistas e canteiros entre as mesmas. Ou o fato de, quase todo final de semana, alguém falecer porque bateu a motocicleta contra um poste ou uma árvore.
Em boa hora, antes de começar a temporada de verão e conseqüente aumento dos acidentes automobilísticos, o Grupo RBS lança a campanha “Violência do Trânsito - Isso Tem que Ter Fim”
A reportagem especial do Diário Catarinense pode ser lida em: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a1712309.xml&template=3898.dwt&edition=8987&section=846

“DIÁRIO CATARINENSE, 19 de dezembro de 2007
Reportagem Especial
Basta de violência no trânsito
Para tentar evitar a carnificina nas estradas e nas ruas que matou pelo menos 261 pessoas em Santa Catarina no verão passado, a RBS lança campanha de conscientização com o objetivo de atingir o público que mais morre no trânsito - os homens de 18 anos a 29 anos.
(...)

Boa sorte pra nós!
{8¬)

19 dezembro, 2007

PRA ALIVIAR A PRESSÃO

lagoa

esta lua cheia
por sobre barcos que cochilam desnecessariamente atados ao trapiche
- o melhor do mundo é o lugar aqui
e desde muito antes do agora
desafia-me

serei depois de tantas vozes
capaz de cantar esta magia que se enfronha em mim
a ponto de me sentir nela
enquanto a sinto em mim

mesmo que se me afrouxasse o último sopro do nervo ótico
sedasse a última possibilidade táctil
unísson(m)os eu e tu lagoalua

e tá feito!
aceito
viver é topar riscos
disse outro mineiro aí num livro aí

Lagoa, 30/08/04

Ps.: a foto da Lagoa da Conceição é de minha mana Alu Mulder, que sabe o que faz com este trem de tirar retrato.

18 dezembro, 2007

CADÊ A MERENDA?

Minha gente bacanuta,
Dizem que a Poesia, assim como as outras artes (excluindo as marciais e as culinárias) é alimento para a alma.

Deve ser por isto que os poetas só passam a ter direito ao feijão-cum-arroz depois que vão passear.
Eu, hein?!
Farinha pouca, nem vou à festa.
{8¬)

14 dezembro, 2007

POIS, AGORA...

Deu no http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u354988.shtml

“14/12/2007 - 14h08
Líderes de oposição já admitem criação de nova CPMF em 2008
GABRIELA GUERREIROda Folha Online, em Brasília

A oposição já admite rediscutir a implementação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) depois de ter derrubado a manutenção do "imposto do cheque" no plenário do Senado nesta semana. Nos bastidores, líderes do DEM e do PSDB acenam com a possibilidade de negociar com o governo a recriação da CPMF em 2008, desde que a mudança ocorra no âmbito da reforma tributária a ser enviada ao Congresso.
O senador Heráclito Fortes (DEM-PI) disse que apesar da postura contrária do DEM à CPMF, o partido aceitar negociar o seu retorno --se o governo firmar o compromisso de mudar a sua estrutura. "No formato atual, o próprio presidente Lula não aceita o retorno [da CPMF]. Agora, pode, se colocar um botox e tirar umas gordurinhas", ironizou o democrata.”


E eu, que já tava pensando em comprar uma mansão em Jurerê com o troquinho que iria me sobrar, como fico? Pelo jeito, os empresários não terão tempo de reduzir os preços dos bens e serviços, conforme era a sua intenção, com o fim do alto peso tributário que a CPMF impunha aos brasileiros e brasileiras.
Ô Seo Heráclito, como ficam as sagradas “mãos-santas” das donas de casa que já se preparavam pro curso a ser oferecido pela Fundação Getúlio Vargas sobre como administrar os 40 bilhões que ficariam com elas?
Bem que o Lavoasê do Mão Santa diz que nada se cria, nada se perde... Pode trocar o epíteto pra Boca Santa. Ou Holly Throat.
Onde é que fica o túnel do fim da luz, mesmo?!
{8¬)

A GREVE DO BISPO QUE NÃO COME COMO UM FRADE

Deu no http://www.paraiba.com.br/noticia.shtml?56840

"Sabatella visita
bispo em greve de fome e critica Lula
09/12/2007 às 14:26

O bispo de Barra (BA), d. Luiz Flávio Cappio, 61, em greve de fome há 12 dias contra a transposição do rio São Francisco, recebeu ontem apoio de artistas ligados ao Movimento Humanos Direitos. Integrante do grupo, a atriz Letícia Sabatella encontrou o religioso, em Sobradinho (a 540 km de Salvador), e criticou o projeto e o presidente Lula.
Cappio recebeu uma carta do movimento, assinada pela diretora da entidade, a atriz Dira Paes. Na mensagem assinada por 40 integrantes do grupo -entre eles os atores Wagner Moura, Osmar Prado, Camila Pitanga e Leonardo Vieira-, a entidade elogia o bispo, pede a revitalização do rio e o arquivamento do projeto da transposição."

Fico a imaginar que a bela e demais integrantes do grupo não precisam de água encanada em casa e só tomam banho de canequinha com a Elza Soares cantando no radim de pilha:
“Lata d’água na cabeça...”
Hoje, ouvi de um colega de sala de espera por consulta pelo SUS:
-“O bispo devia fazer greve é de beber água”.

13 dezembro, 2007

TIÃO ROCHA AVIVA O RODA

Assisti, neste 10/12/07, a um Roda Viva bacana onde o entrevistado foi Tião Viana. Um cabôco que leva educação a sério e não chiando feito guri que perdeu a chupeta, como é o caso de Cristovam, outro Buarque. Também foi bacana ver meu ifichiano colega Fernando Rosseti (dos que mais perguntaram) na banca de entrevistadores.
Abro parêntesis pra escrever que me encabula a forma tucana de só convocar entrevistador que concorda com as opiniões do entrevistado, o mais das vezes.
Entre tantas outras colocações, Tião diz que o professor é o único profissional que está com seu cliente, o aluno, todos os dias.
Nisso, já não concordo com ele. O professor é único empregado que cria o seu patrão, às vezes, desde o berçário. E, ao invés de aproveitar esta convivência para conquistar-lhe a simpatia e revelar sua importância para sua vida toda, prefere fingir que educa e gastar em reclamações o tempo que deveria investir nesta vital relação. Alguém aí dentre os visitantes blogais concebe uma passarinha fingindo que ensina o filhote a voar? Pois o humano é capaz de tanto.
Crescido o guri, quando não é deletado pela natureza ou pela seleção social, torna-se eleitor. Eleitor, vota, geralmente, no prefeito, governador ou presidente que vai fingir que paga o professor. E por aí vai...
Claro que estou generalizando, pois a sorte me sorriu com, por exemplo, Dona França. Diretora do Grupo Escolar Wenceslau Brás, em Passos – MG, sempre em seu vestido preto e cabelos branquinhos era a seriedade em pessoas. E muito lhe agradeço pelo castigo que me infligia devido ao meu exemplar, pelo avesso, comportamento: enquanto ela encerrava o expediente depois das aulas eu ficava sentadinho a ler e, antes de sairmos, tinha que comentar o que tinha lido. Sua benção, Dona França!
Quem quiser saber mais sobre o fantástico trabalho de Tião e sua valente equipe acesse:
http://www.cpcd.org.br/
Há também uma entrevista publicada no FOLHAONLINE:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u348104.shtml

Fico a pensar em Sophia que, aos seis anos, já iniciou uma série de seis livros sobre a rena Celina e já planeja uma série de cinco livros sobre golfinhos: tão distante do Tião e sua semeadura...
Quem é Sophia? Mistério...
Ps.: ao procurar fotos da escola onde fiz o curso primário, encontrei esta no http://www.guiapassos.com.br e fiquei mais feliz ao saber que ela foi tombada e passou a ter o nome de Escola Municipal Francina de Andrade. Como diz Dona Mareca: pé de galinha não mata pinto.

CPMF: O FIM?

O presente dirá quem estava com a razão?
Só posso dizer que pra mim nada muda. Em menos de um mês agendei e farei a terceira consulta ao oftalmologista. Pelo SUS! E sem pedir favor ou trambicar.
Dizem que a saúde pública está falida e que a expectativa de vida aumentou. Interessante, né?
Dizem que há muita gente morrendo na fila. Será?!

12 dezembro, 2007

SEM ENCANAÇÕES, POR FAVOR

Tá lá no http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL213229-5601,00-BISPO+COMEMORA+LIMINAR+SUSPENDENDO+OBRAS+NO+SAO+FRANCISCO.html
“Bispo comemora liminar suspendendo obras no São Francisco
(...)
O bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, que está há 15 dias em greve de fome, recebeu "com alegria" a notícia de que o Tribunal Regional Federal (TRF) de Brasília (DF) concedeu liminar suspendendo as obras de transposição do Rio São Francisco. (...)

Oras, o tal bispo está há 15 dias sem comer e boa parte da Nação se comove. Boa parte dos nordestinos lutam para ter o que comer há séculos e grande parte da nação dorme.
Pela foto, copiada da página supracitada, dá pra ter uma noção de quem apóia o bispo. Cada camiseta desta custa uns “deiz real”, sem falar nos bonés branquinhos. Muitas famílias do semi-árido recebem, apesar dos esforços dos tucanos&dem’s, pouco mais que isto, mensalmente, por filho que mantiver na escola.
Curiosidade: qual será o próximo ato do bispo: comer ou tomar banho?
É de lascar o cano!
Em tempo: o Complexo Cantareira rouba milhões de metros cúbicos da Bacia do Rio Piracicaba e despeja no Tietê, há décadas. E quem fala disso?

Ps.: foto “gentilmente cedida” por Marco Aurélio Martins/Agência A Tarde/AE

11 dezembro, 2007

NIEMEYER, CENTOS ANOS

Com não sou arquiteto, não curto muito o Niemeyer. Entretanto, gostei muito do comentário dele, citado numa entrevista na GLOBONEWS, ao ser informado que receberia uma medalha:
-"Medalha por que? Não apaguei nenhum incêndio!"
Dex com louvor!

CPMF, KAFKIANO TRANSTORNO

Independente da posição contra ou a favor de cada um dos senadores, o interessante é um lado acusar o outro de ter mudado de opinião quanto à necessidade da CPMF. Claro que cada um teve e tem suas razões. Aliás, a meu ver todos têm razão em todos os tempos. E segue a ladainha:
-“Vossa excelência votou contra a criação ”do” CPMF quando ela foi criada. Agora, quer perpetuá-la pra garantir o terceiro mandato!"
-“Vossa excelência votou a favor da criação da CPMF. Agora, diz que ela aumenta a carga tributária.!"
Outra coisa interessante é o tal Mão Santa dizer que é médico há quase 40 anos... Só se for por telepatia. Já imaginaram suas parnasianas receitas?
-“Esta receita de óleo de rícino foi desenvolvida por Lavoisier para curar a dentada que o Incitatus deu em Rui Barbosa - que tá ali, ó! - por não ter gostado do Encilhamento, senador da República que também o era.”
E o Stanislaw ainda comete o impropério de dizer que o samba é do crioulo doido...

05 dezembro, 2007

CPMF: PODE NÃO PARECER, MAS É COISA SÉRIA

Debate no Senado, às 13h30min h do dia 05/12/07. Não vou conseguir me lembrar das palavras exatas porque não é fácil acompanhar o raciocínio dos membros do mesmo. Em linhas gerais, foi assim a explicação sobre a mudança de posição do PSDB em relação à CPMF, que este mesmo partido criou, através de seu mais iluminado luminar, FHC.
Tasso Jereissati:
_” Senador Wellington Salgado, vou tentar explicar de maneira mais explícita como se deu nossa mudança de criador e defensor da CPMF a detrator da mesma. Agora, são 13:30h. Senador Demóstenes Torres, o senhor já almoçou?”
Demóstenes Torres:
-“Ainda, não.”
Tasso Jereissati:
-“Então, agora, ele está com fome. Senador Demóstenes Torres, depois de almoçar, o senhor ainda continuará com fome?”
Demóstenes Torres:
-“Eu estou de regime.”
A sala explode em risos, inclusive os tucanares. Ao fundo, uma voz feminina:
-“Esqueceram de combinar o script.”

De Gaulle ganha de Nostradamus, embora tenha feito uma afirmação e não uma profecia.
Boa sorte pra nós!

CBN FLORIANÓPOLIS - TENTATIVA DE PARTICIPAR DO CHAT

Aí vai minha tentativa de participar do chat da emissora de rádio CBN – Florianópolis – SC, quando comentaram sobre a CPMF. O apresentador Mário Motta poderá responder ou deixar aqui o seu comentário, se assim julgar interessante, já que não pode fazê-lo pelos microfones.

10:09:03 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Bom dia, Mário. O problema da CPMF é que ela é um imposto meio difícil de ser sonegado. O peso tributário do ICMS é muito maior e não se vê tanta reclamação. Também não se sabe se ele volta integralmente para a população, na forma de benefícios.
(...)
10:10:10 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: 0,38% de imposto não é oque realmente complica nossa vida
(...)
10:17:47 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Como sempre, terei que cobrar a divulgação da minha opinião?

02 dezembro, 2007

PRETENSÃO?

Como a maioria só conhece dois dos versos e os cita como ingredientes de uma receita de bolo, eis a íntegra:

MAR PORTUGUÊS
(Fernando Pessoa)

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Como gosto de uma briguinha (meu amigo João, lá de Souzas das Campinas, diz que me subestimo quando apenas falo que adoro) resolvi dar pitaco. Daí, respondo ao mestre que muito gosto, porém não respeito. O não respeitar é por que não respeito coisa alguma, gostando ou não. Respeito me cheira a hipocrisia e falsidade. Prefiro acreditar nas diferenças sem “desde que”.
Voltando ao pitaco, aí ele vai:

Pessoa,

o que “vale a pena”
a alma
apequena

Floripa, 24/02/05

30 novembro, 2007

MAIS CINEMA, SEMPRE




Vá lá, aproveite e participe.

A LUTA É CONTÍNUA

NÃO CARA-PÁLIDA!

sei que só
não salvarei a tribo
mas não serei o batedor
que dirá à cavalaria
qual é a melhor hora para o ataque

não me cativam
teus espelhos e contas de vidro


Ps.: o poema é uma das formas de participar do festim que vai rolar em Brasília.


29 novembro, 2007

POESIA, SEMPRE

Lá, em certo ponto, um daqueles poucos que sabem a vida, canta com o devido apoio de outro que também a sabe:

"Pátio, céu canalizado."*

Precisa mais?

* verso do poema PÁTIO, de Jorge Luís Borges, traduzido por Mnauel Bandeira.

E A RESPOSTA DO PROGRAMA OPINIÃO DA TV CULTURA CHEGOU, ENFIM:

----- Original Message -----
From:
Opinião
To:
kshasca@yahoo.com.br
Sent: Monday, November 26, 2007 2:57 PM
Subject: Não lida: BLOG DOS "DE GRÁTIS"
Sua mensagem Para:
opiniao@tvcultura.com.br Assunto: BLOG DOS "DE GRÁTIS" Enviada: 20/11/2007 10:14foi excluída em 26/11/2007 14:56.


Ps.: após o término da democracia grega ou, melhor dizendo, ateniense, os auto-denominados democratas adquiriram variados matizes; parodiando o Bardo: se ser, como ser? será uma questão? Enquanto isto, na Tv, segue o programa despredileto: "la vem o Chaves, Chaves, Chaves!"
Ainda me gusta Bakunin.

24 novembro, 2007

E O PROBLEMA É O RENAN...

Tá lá no ESTADÂO: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20071123/not_imp84334,0.php
Sexta-Feira, 23 de Novembro de 2007 Versão Impressa
23 senadores aparecem como sócios de emissoras de rádio e TV
Discussão sobre prática, vedada pela Constituição e pelo Código de Ética do Senado, volta à tona com caso Renan.
Andrea Vianna, BRASÍLIA

A aproximação do julgamento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que está licenciado da presidência do Senado e poderá ter o mandato cassado por acusação de usar laranjas na compra de duas rádios em Alagoas, reacende a discussão sobre a proibição a parlamentares de obter e manter concessões de emissoras de rádio e TV. Dos 81 senadores, 23 deles - quase um terço do total - aparecem como proprietários de empresas do gênero.
(...)

A MÁGOA É PROBLEMA SÉRIO...

Tá lá na página http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u348050.shtml :

FOLHAONLINE O23/11/2007 - 14h03 FHC critica "elitizinha" e prega reconciliação com o povo para retornar ao poder
"(...) Apesar de não citar o nome do presidente no discurso, FHC ironizou de forma indireta a baixa escolaridade de Lula ao rebater as acusações de que o PSDB é um partido de elite. "Aqui [no PSDB] há acadêmicos, e não temos vergonha disso. [...] Faremos o possível e o impossível para que saibam falar bem a nossa língua. É por isso que em Minas Gerais o ensino passou para nove anos, e não quatro. Queremos brasileiros bem-educados, e não liderados por gente que despreza a educação, a começar pela própria." FHC disse que uma "elitizinha apressada se abotoou no poder", numa referência direta ao PT. "Somos gente que estuda e trabalha. Trabalha e estuda."
(...)
O Príncipe FHC, O Magoado, bem poderia fazer uma apresentação do salto de qualidade que a educação no Estado de São Paulo deu a partir do governo Covas, que se ga(m)bava de ser filho de professora. A modernidade desta jóia dentre as unidades da Federação é espantosamente imperceptível aos não-sorbonnenses.
E mais: realmente, ele trabalhou mesmo. Além de passar, não se sabe por quais cargas d’água, de ateu a apóstolo e apreciador de buchada de bode.
E o eleitor paulista? Hein?
O eleitor paulista...

22 novembro, 2007

SAÚDE NO CHAT DA CBN FLORIANÓPOLIS

11:12:22 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Bom dia, Mário. Aproveitando a reportagem sobre a creche, hoje fui ao posto de saúde agendar uma consulta ao oftalmologista. A atendente disse-me que a previsão é para cerca de 2 anos. Inclusive, disse-me que uma parte nem chega ser consultada porque falece antes do dia. Até parece piada, mas não é.
11:13:12 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Isso é porque é para oftalmologia... Imagine quantos não padecem por outras doenças mais graves.
11:14:15 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: A partir do momento em que a grande maioria da população não-assistida passar a responsabilizar o Estado por essas coisas, a situação muda, com certeza!
11:14:21 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Ficar cego não deixa de ser um problema grave
11:15:34 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Estou me referindo a problemas cardíacos, pulmonares...
11:16:31 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: A meu juízo, não existe problema de saúde mais grave que o outro
11:17:02 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Tá bom. Vc entendeu o que eu escrevi. Ponto!!!
11:19:30 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Entendi, Jorge. Apenas não concordo
11:20:10 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Então tá!
11:20:21 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: E estou aguardando o comentário do Mário Motta, pela CBN.
11:20:52 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Insista na sua colocação...
11:21:15 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Talvez tenha passado e ele não teve a oportunidade de ler.
11:21:51 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Acredito que ele viu
11:22:09 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Dificilmente o Mário deixa de comentar esse tipo de assunto.
11:23:20 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: De toda maneira, vou postar este diálogo no blog que tenho editado
11:23:47 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Dá o endereço aí, cara.
11:24:14 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: http://shasca.blogspot.com
11:24:24 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Blz...
11:24:44 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Veja lá e poste teu comentário, depois
11:24:56 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Seria mais conveniente que vc usasse a caixa disponível aqui no chat para identificar com quem vc está dialogando.
11:24:59 - MÁRIO MOTTA fala para Glaiton em Reservado: O problema acontece por que Florianópolis ainda não assumiu o PLENO da Saúde (ou seja - ainda não é responsabilidade dos postos de saúde ter Especialistas nas várias modalidades)... Mas é um problemaço sim....
11:25:44 - Glaiton fala para MÁRIO MOTTA: Obrigado, Mário
11:26:01 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: Obrigado, Jorge
11:26:14 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Valeu cara... Um abraço.
11:26:50 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: Vou postar este trecho do diálogo no blog. depois, por favor, deixe teu comentário por lá.
11:28:34 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: "Fratura Exposta", é isso, né??
11:28:56 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: Isto
11:29:11 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Blz... Vou comentar alguma coisa.
11:29:17 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: http://shasca.blogspot.com
11:29:21 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: ///comentar///
11:29:30 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: Ok
11:29:44 - Glaiton fala para Jorge Oliveira: Até mais
11:30:33 - Jorge Oliveira fala para Glaiton: Abs...
11:30:50 - MÁRIO MOTTA : 'MÁRIO MOTTA' sai da sala.

21 novembro, 2007

CENSURA DÁ FILME? DÁ. SIM!

Pessoal,
Voltando ao papo cinematografante...
Recentemente, arrisquei o pescoço e fui assistir um tal O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO, filme nacional com globetes e etc. & tal. No dia seguinte, assisti Woyzeck, de Werner Herzog e com o demoníaco Klaus Kisnki, pela TV Cultura. É parte de uma mostra de cinema alemão. Mais informações em:
http://www.kulturfest.com.br/port/salaimprensa/01112007_cinemaalemao.asp
Recuso-me a comparar filmes e atores. Bestagem pura.
Hoje, assisti uma pérola japonesa: ESCOLA DO RISO, de Mamoru Hosi. É um trabalho dramático e engraçado sobre a relação censura-arte. Coisas que os mais jovens só sabem de ouvir falar. Parênteses: poder utilizar a expressão “coisas que os mais jovens...” é uma das vantagens de ser um veiinho calhorda.
Quem gostar de filme que solicita o apoio do cérebro vai curtir. Quem se interessa em saber mais é só clicar em:
http://www.adorocinema.com/filmes/escola-do-riso/escola-do-riso.asp

20 novembro, 2007

DEBATE OU CONCORDATE?

No post abaixo, segue uma série de e-mails trocados com o atendimento virtual do programa OPINIÃO NACIONAL, da TV Cultura.
Pode ser que minha parca mente não consiga entender um programa de debates onde todos os participantes têm a mesma opinião. Pode ser que seja apenas influência daquele verso do Torquato Neto: “onde tem uma ferida, cabe meu dedo”. Aliás, já o emendei com “se não tem, crio-a”
Enfim, pode ser interessante conhecer a opinião de LUIZ CARLOS MOLION, que não participou do referido programa de concordates: "AQUECIMENTO GLOBAL É TERRORISMO CLIMÁTICO".
Enquanto isto, mineiro que sou, continuo desconfiando de tudo. Sem paranóia, é claro, pois esta opção não é própria da terrinha.

TENTATIVA FRUSTRADA DE PARTICIPAR DO "OPINIÃO NACIONAL", PROGRAMA DA TV CULTURA

----- Original Message -----
From:
kshasca@yahoo.com.br
To:
opiniao@tvcultura.com.br
Sent: Thursday, November 08, 2007 11:18 PM
Subject: AQUECIMENTO GLOBAL

Boa noite.
Pergunta:
1 - Qual a opinião dos membros da mesa a respeito da entrevista do Prof. Luiz Carlos Molion publicada na revista ISTO É de 11/07/07, onde ele afirma que "AQUECIMENTO GLOBAL É TERRORISMO CLIMÁTICO"? Se é um debate, não seria interessante que ele estivesse presente?
Aproveito para parabenizar o programa pela qualidade das discussões e temas.
Também quero mandar um abraço ao Mário Mantovani, que me deu grande força quando trabalhei na área de Meio Ambiente, em Cosmópolis - SP
Ats.
Shasça
Florianópolis - SC

----- Original Message -----
From:
kshasca@yahoo.com.br
To:
opiniao@tvcultura.com.br
Sent: Friday, November 09, 2007 12:08 AM
Subject: TENTATIVA FRUSTRADA DE PARTICIPAR

Prezados Srs,
Parece que perdi meu tempo tentando participar do programa.
A TV Cultura deve ter um tremendo esquema de seleção das questões a serem colocadas para os programas.
Obrigado, mesmo assim
Shasça
Florianópolis

----- Original Message -----
From:
Opinião
To:
kshasca@yahoo.com.br
Sent: Friday, November 09, 2007 12:17 AM
Subject: RES: TENTATIVA FRUSTRADA DE PARTICIPAR

Agradecemos sua participação.
Em breve, algumas questões dos telespectadores serão colocadas no site da Tv Cultura (onde também podem ser vistos os programas já exibidos):
www.tvcultura.com.br

Um abraço,
Equipe Opinião Nacional

De: kshasca@yahoo.com.br [mailto:kshasca@yahoo.com.br] Enviada em: sexta-feira, 9 de novembro de 2007 00:24Para: OpiniãoAssunto: Re: TENTATIVA FRUSTRADA DE PARTICIPAR

Cara e Prezada Equipe,
Minha pergunta era pra ter sido respondida pelos participantes do concordate. Creio que este nome é mais adequado, já que não se aceitam opiniões divergentes.
Ver a pergunta no site será patético. Vou colocá-la junto com suas respostas no blog que tenho construído
Boa sorte para nós todos!
Obrigado pela atenção não dispensada.
Ats.
Shasça

----- Original Message -----
From:
Opinião
To:
kshasca@yahoo.com.br
Sent: Monday, November 12, 2007 2:39 PM
Subject: Shasça

Shasça,
Felizmente, o Opinião recebe centenas de perguntas e procuramos fazer, no ar, as questões que são comuns a um maior número de telespectadores. Não é possível fazermos todas as perguntas.
Agradecemos sua participação e esperamos contar com você em uma nova oportunidade.
O programa desta semana será gravado amanhã, terça, e você pode nos mandar sua questão. Por favor, nos mande seu nome completo e a cidade de onde você escreve.
Segue um resumo do que será debatido para que você possa pensar se deseja nos mandar uma pergunta.
Especialistas alertam que, se não chover bastante nos próximos meses, para manter alto o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas, o país corre o risco de um apagão energético, como ocorreu em 2001. Com a seca registrada nos últimos meses, o nível das represas diminuiu, provocando...

TEATRO SIM, PORQUE...

Nesta, minha parceira Luanna Lennan permitiu-me dar uns pitacos. Este povo faz chover!

TAMBÉM TEM TEATRO


Minha irmã Dona Donana convida para:


CINEMA DE GRÁTIS, DE NOVO!


"O Cine CUCA da UNE já está acontecendo em todo o país. Até o dia 15 de dezembro pelo menos 60 universidades receberão o projeto com exibições de 9 filmes nacionais, entre curtas, médias e longas-metragens. Entre os longas estão os recém-lançados “Batismo de Sangue”, Cão Sem Dono” e “Conceição – Autor Bom é Autor Morto”, primeiro longa dirigido apenas por universitários. Os dois documentários de média-metragm dirigidos por Silvio Tendler sobre o movimento estudantil também estão em cartaz. Já os curtas selecionados foram os 5 vencedores..."
Mais informações e programação em http://www.cinecuca.com.br/
Ps.: sempre rola alguma coisa, mesmo pra quem tá durango. o que falta é coragem tirar o murundú da cadeira, como disse muito bem o Lulinha.

29 outubro, 2007

JABOURU

Pois bem (pra usar o estilo Jaburu)
Vou contar pra vocês uma historinha protagonizada por esta nossa fantástica sentinela figura, guardião-mor da moral e bons costumes da terra brasilis. Este singelo conto de fodas explica o azedume do ex-cineasta que descobriu uma forma infalível de ganhar grana. Assim como o Dráuzio Varella e o Maurício Kubrusly também perceberam que muito poderiam ampliar seus indignos rendimentos se passassem a discutir a cor da pomba das anjas e a investigar se o pássaro preto é mesmo preto ou só o fingi ser.
Voltemos ao global enfant terrible.
Alguns guris, ao descobrirem a sexualidade na tenra, terna e doce infância, optam por desenvolvê-la através de trabalho em grupo. Daí, soe acontecer de trocarem isto e aquilo com algum coleguinha optante pelo mesmo modus operandi. Estando bom para ambas as partes, com diz aquele excelso deputado paulista colega de outros tão excelsos quanto, fica todo mundo satisfeito com o que leva.
Com o Jabouru aconteceu um imprevisto traumatizante. Foram lá pra moita, ele e um coleguinha também disposto a descobrir os tais mistérios gozosos dos quais fala o livro, aquele. O coleguinha soltou os suspensórios e arreou a bermudinha cor azul-calcinha com barra de cor idem, atracou-se delicadamente ao cupim e oferendou o derrière (o butão, como diria cumpadi Orni). Jabouru, rapinante como de costume, crau!
Feito o serviço, bateu-lhe a coceirinha. Jabouru deixou escorrer o xortisinho florido, atracou-se ao cupim, o mesmo, e entregou-se a enlevadas elucubrações freudianas. Quando Ipojuquinha encostou-lhe o bingolim no raiado, ouviu aquela voz inconfundível:
-“Vais perder a aula, Jabouruzinho! Vem que o papá está à mesa!”
E lá se foi o guri, resmungando horrores, maldizendo aquela corta-barato. Não conseguira ser comido. E um não comido, embora desejoso, é um caso triste de doer. Lá nele, claro.
Vem daí a sua figura sorumbática e furibunda e o seu estilo desenvolvido após muito estudar Zé Fernandes e Pedro de Lara. Também vem daí sua dificuldade em enxergar alguma coisa bonita ou alegre na vida.
Embora acredite que desenvolver e manter um trauma é uma espécie de opção, penso que hábitos da infância podem influenciar a adultice de alguns. Ou de muitos, talvez.
Pronto. Aguardo os apupos dos seus ardorosos fãs.

27 outubro, 2007

E A SAÚDE O QUE É?

“hospitais são onde eles tentam matar você sem explicar por quê. a fria e calculista crueldade do hospital americano não é causado por médicos que estão sobrecarregados de serviços e que estão habituados e entediados com a morte. é causada por MÉDICOS QUE GANHAM DEMAIS PRA FAZER TÃO POUCO e que são admirados pelos ignorantes como feiticeiros que curam, quando na maior parte do tempo não sabem diferenciar seus próprios cabelos do PÍÍÍÍÍÍ de barbas de milho.”

(BUKOWSKI, in Notas de Um Velho Safado)

Pois é... Como o Velho Buck escreveu isto aí na década de sessenta, of course que muita coisa mudou, né?
Ao contrário de muita gente e baseado na minha experiência como funcionário do Posto de Saúde de Cosmó por pouco mais de dois anos, acredito que os serviços de saúde pública melhoraram. Tínhamos, à época, um jeep antigo e 20 litros de gasolina por mês, para, entre outras tarefas, visitar pacientes com tuberculose ou lepra, crianças e gestantes com vacinas atrasadas e ainda pro Seu Pereirinha fiscalizar estufas com coxinhas que mais pareciam quibes e por aí afora. Ao volante, Gil e seu bigode (já o citei em outra postagem aqui neste blog).
Quem viu ou foi atendido por esta estrutura não pode, se razoavelmente livre da hipocrisia, sair repetindo como um papagaio: A SAÚDE ESTÁ FALIDA! A SAÚDE ESTÁ FALIDA!
Os castos anti-lulinhas pode ficar tranqüilo. Estou dizendo que a saúde pública melhora desde Hipócrates e desde as benzeções de Vó Rosa. Quando aparece nos hemorrágicos telejornais entre sete e nove da noite uma agente de saúde pendurando uma balança num galho pra pesar uma criança lá na Amazônia, logo se diz: este é mais um sinal da falência da saúde pública no Brasil. Ora, até recentemente aquela criança só notaria se seu peso está ou não nos conformes, quando começasse a ler revista besta e a se comparar aos astros de novela.
Aqueles, poucos, que têm o imperdoável gosto por História, a mãe do conhecimento, sabem que já tivemos até uma tal Revolta da Vacina, lá no Rio de Janeiro. Os que tiverem alguma curiosidade em conhecer algo a respeito podem acessar
http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolta_da_Vacina .
Quantos países têm um sistema de atendimento como o SUS? Mesmo considerando fatos como uma pessoa mal-informada (ou má relacionada) morrer num corredor à espera de socorro ou uns poucos bem-informados (ou bem relacionados) terem acesso a cirurgias de redução do estômago ou trocar bingolim por pereca, o viver era bem pior antes dele. Claro que precisa melhorar. Porém, para reformarmos a casa, é preciso conhecer a mesma.
Eu cá, vejo que os equipamentos e instalações melhoraram. Falta melhorar o ponto crucial da máquina: o atendimento. E aí é que pega: o humano continua o mesmo, nestes milhares de anos. O funcionário público, em geral, por se considerar eterno e intocável em sua paralisante função, tende a nos olhar com desdém. Por isto o texto do Bukowski inspirou-me.
Bem, como o propósito aqui não é polemizar, vamos subir a viga. Há uma certa rede de farmácias que disponibilizam medicamentos básicos a preço de banana. Talvez, teu médico te diga:
- “Estas coisas do governo não são de confiança. Dê preferência às farmácias tradicionais e às recomendações dos artistas que garantem que usam esta cola pra dentadura, aquele remédio que levanta ou aquele outro que abaixa.”
Experimente ser curioso(a) e mande o gato do provérbio catar coquinhos. Dê uma olhada na tabela de preços que está em
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/medicamentosfarmaciapopular.pdf ou disque para 0800 61 1997.
É simples: se tiver saúde, não precisa de remédios; se precisa deles, compre onde é mais barato; vai sobrar mais pro leite ou pra cerveja.
E, lembre-se, cerveja previne pedra no rim e não contém soda cáustica.
{8¬)

16 outubro, 2007

BRINCADEIRINHA

A EDUCAÇÃO EM COSMÓPOLIS: acabaram-se os burros?

Ainda outro dia, quando estava apreciando mais uma atuação do meu glorioso Mancha F. C., um amigo disse-me que nem todos iriam entender
O artigo que escrevi sobre o fim do Cine Avenida. Respondi-lhe, talvez até de maneira deselegante, que eu havia estudado no GEPAN e que ele ainda funcionava no mesmo lugar. Minha intenção era dizer-lhe que o pouco que sei devo, principalmente, à escola pública e que o GEPAN, assim como as outras escolas do Município, continua com suas portas abertas.
Hoje, pensando no que disse, assaltaram-me algumas dúvidas: a quantas andará o meu também glorioso GEPAN? Como são seus mestres? Como são seus atuais formandos e formados?
Estamos presenciando, atualmente, mais um movimento do magistério público por melhores salários. Como sempre, o Estado jura que está preocupadíssimo com a situação do ensino público, mas não tem recursos. Como sempre, apenas uns poucos professores apresentam-se para a luta. Como sempre, os alunos só se preocupam se terão que repor aulas. Como sempre, a Sociedade se divide entre quem consegue manter o filho na escola privada, quem sonha com esta possibilidade e quem ainda tenta, desesperadamente, manter o filho, ao menos, na escola pública. Os “políticos”? Bem, estes são profissionais; não dão ponto sem nó. Na verdade, pouquíssimas pessoas estão preocupadas com os objetivos do tipo de educação que a rede pública tem oferecido.
Tenho ouvido muitos afirmarem que está havendo um desmantelamento do sistema educacional, que o Estado abandonou o ensino público. Ledo engano. Aqueles que ocupam cargos onde as decisões são tomadas, assim como aqueles que dão sustentação política, social e financeira a estes ocupantes de cargos têm objetivos claros: não querem dividir o reinado e, muito menos, largar o osso. Sabem qual é o tipo de estudante, professor, operário ou família que desejam. Enfim, sabem qual é o tipo de sociedade que permitirá que continuem nadando de braçada neste mar de lama que o país tem sido há 495 anos.
Comparada à maioria das cidades brasileiras Cosmópolis possui uma considerável estrutura de ensino de 1º e 2º graus e, além disso, está construindo uma unidade educacional que se pretende seja inovadora. Talvez estejamos vivendo o momento de iniciarmos um debate em busca de propostas adequadas às nossas potencialidades e necessidades. Pode ser que consigamos ir além da tradicional choradeira às vésperas de datas-base e vestibulares. Para sairmos desta pasmaceira intelectual é preciso que os estabelecimentos de ensino entreguem à sociedade algo além de futuros desempregados tecnicamente qualificados.
Bem sei que vão dizer que só critico, que, para mim, nada está bem. Então, fica aqui uma sugestão: que tal todos os interessados na questão, que eu sei são pouquíssimos, mobilizarem-se para a realização de, por exemplo, um SEMINNÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO aberto a toda a sociedade cosmopolense?
Felizmente, há um saldo ecológico na situação: dificilmente um professor tem se sentido apto a chamar um aluno de burro, o que poupa a fauna de comparações pouco louváveis.
Com a palavra, os interessados. Ou os incomodados.

Shasça, 18/04/95


Ps 1: este artigo foi publicado num jornal de Cosmópolis – SP e GEPAN é o colégio onde estudei e tomei gosto por rabiscar minhas brincadeiras. Foi publicado no Jornal de Cosmópolis, em 22/04/1995.
Ps 2: apesar da magistérica efeméride comemorada no 15 de outubro de todo ano, a publicação do artigo não tem a intenção de homenagear aos homenageados do dia. Mesmo porque, muita coisa deve ter mudado de 1995 pra cá. Muita água passou debaixo da ponte do Pirapitingüi. Né mesmo?

12 outubro, 2007

FELIZ DIA DE TODOS NÓS CRIANÇAS!!!

Certa vez, um camarada que, segundo me disseram recentemente, já foi passear antes do combinado me disse que todo homem tem um pouco da Síndrome de Peter Pan. Respondi-lhe de bate-pronto (coisa rara em mim):
- Cara, eu sou o Peter Pan!
Tá escrito lá na http://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Peter_Pan :
"A Síndrome de Peter Pan foi aceite em psicologia desde a publicação de um livro escrito em 1983 The Peter Pan Syndrome: Men Who Have Never Grown Up ou "síndrome do homem que nunca cresce", escrito pelo Dr. Dan Kiley.
Esta
síndrome caracteriza-se por determinados comportamentos, imaturos em aspectos comportamentais, psicológicos, sexuais ou sociais. Segundo Kiley, rasgos de irresponsabilidade, rebeldia, cólera, narcisismo, dependência, negação ao envelhecimento."
Como não sou de botar fé em paranóias, taí uma oferenda à curuminzada.
Desejo que curtam e leiam para a prole (vossa e alheia).
Deixem as farpas nos comentários. Também, se arrisquem a deixar alguma identificação.
E como dizem os manos, É NÓIS!
{8¬)


CANTIGA DE NINAR

nunca implorar pelo peixe
mas apreender o pescar
e conquistar o rio

avançar sempre menina
os conselhos vêm dos lados
à frente está o rio

não lamentar o que é ido
parar pra contar os mortos
é dar chance ao inimigo

cuidar as margens menina
saber dividir o rio
e esquecer o que digo


Ps1: esta brincadeira deseja expressar, a meu confessamente míope ver, o único conselho que se pode dar a uma criança, não importando a sua idade cronológica ou social.
Ps2: imagem “emprestada sem permissão” do site http://releitura.wordpress.com/

26 setembro, 2007

CINEMA DE GRÁTIS

Voltando aos mucadim, aí vai mais uma das ótimas razões pra se morar em Floripa, além das praias, de cujas a ilha é refém. A meu juízo, que é pouco, bien sûr.
No Cineclube Sol da Terra (http://www.soldaterra.com.br/) é só chegar, sentar-se e curtir. Só se paga a pipoca que, aliás, não foi feita pra comer durante o filme. Hoje, assisti ao primeiro e é dos marvados.
Só quem é jogador de truco do interiorrrr sabe o que "marvado" significa.
Abaixo roliúdi e seu cineminha de corno fake! Vivamos o cinema!!!!
E parabéns ao SOL DA TERRA!


29 agosto, 2007

SOBRE ESTA TAL LIBERDADE DE OPINIÃO

Tá lá no COMUNIQUE-SE (http://www.comunique-se.com.br/index.asp?p=Conteudo/NewsShow.asp&p2=idnot%3D38716%26Editoria%3D8%26Op2%3D1%26Op3%3D0%26pid%3D22037402500%26fnt%3Dfntnl ), um portal freqüentado por jornalistas e afins e onde eu resolvi, par fois, dar meu pitaco:
“Jornal sueco publica novo cartum de Maomé
Da Redação (*)
O jornal sueco Nerikes Allehanda disse que não pedirá desculpas pela publicação recente de uma caricatura de Maomé. O desenho, de autoria do Lars Vilk, ilustrava um editorial defendendo a liberdade de expressão e criticando a recusa de dois centros culturais suecos de autorizar uma exposição com caricaturas do profeta.
O Ministério de Assuntos Exteriores do Irã disse à Embaixada da Suécia em Teerã que o desenho era uma “blasfêmia”. A publicação provocou uma manifestação de 50 membros da comunidade muçulmana local no dia seguinte.
“O governo do Irã, reagindo deste modo, não afeta minha postura. A intenção não foi pôr em risco a segurança dos diplomatas suecos em uma embaixada estrangeira", respondeu o redator-chefe Ulf Johansson. (...)”

Na tentativa de tecer um comentário suave, postei lá o seguinte:
Como diz certa lei da Física: toda ação provoca uma reação. A questã é que, no campo das humanidades, nem sempre a reação é a deseja, embora a ação possa ser a escolhida.
Assim, tanto o chargista tem o direito de desenhar o que quiser como o mulçumano que se julgar ofendido em suas crenças tem o direito de lhe dar um tiro na cara, se esta for a sua reação escolhida.
E boa sorte pra nós todos.

10 agosto, 2007

PRA CIMA COM A VIGA!

E lá vem mais uma campanha visando, segundo seus organizadores, o bem estar em Pindorama. A quem não sabe o que quer dizer Pindorama, deixo uma possível sugestão do Prates, um radialista da CBN de Floripa: procurem nos livros.
Enfim, uma das peças de divulgação é o vídeo que pode ser visto neste link:
http://www.dailymotion.com/video/x2n3uh_cansei-campanha-da-oabsp_news
Então, o estilo de reação que está na moda é cansar-se?!
Quem será que sai ganhando com este estímulo aos brasileiros para que afrouxem com os arreios?
Eu cá, que não tenho o costume de me cansar da vida e seu movimento, creio que o melhor que as pessoas cansadas têm a fazer é continuarem sentadas. Isto mesmo: levantar-se, como de costume, apenas para pedir um jeitinho aqui e um jeitinho ali, enquanto mantêm aquela nota de cinqüenta pra tentar comprar o guarda. E, obviamente, suplicando àquele tio da prima da comadre da avó, uma boquinha eterna na repartição.
A imobilidade também é uma opção válida.
De minha parte, prefiro seguir na lida, cavando minhas batatas, sem parar pra contar mortos e feridos.
Bom descanso pra quem precisa ou deseja.
Quem tem tutano que meta o remo n’água que a canoa nunca pára!

04 agosto, 2007

DIRETO E TORTO


direto

corpo: vital aríete
vestuário: mero adereço
mesmo a alma não passa
de opcional penduricalho
daquele que vive (n)o porvir

o corpo é o que porta
portanto o que importa

primo pela estima
mijo pra estética
troglodita convicto
ando pra etiqueta
apraz-me
antes me atirar da proa
que bocejar no salão de festas

beleza: só a que se põe na

mesa
cama
e banho (por que não?!)

lagoa, 04/08/07



PS, meio longo: esta brincadeira aí em cima bem pode ser vista (por mim, é claro!) como uma explicação para o fato de ter recortado o poema abaixo e tê-lo portado na carteira, junto com outros talismãs, dos meus vinte anos até que o pedaço de jornal se transformasse em outra coisa que eu já não podia ler. Ou se desmanchado, como diriam os crentes nisto e naquilo. Hoje, desenvolvendo uma frase publicada na revista CATARINA (http://www.revistacatarina.com.br/main.php?show=anteriores&edicao=18)
, editada por minha amiga Carla (prima?!), veio-me a lembrança desta bela fotografia que Manoel Bandeira legou aos atentos.
Claro que não concordo que a vida é “sem finalidade”. Isto é uma muleta para os que acreditam que a felicidade só existe post-mortem. Nem na morte eu acredito. Mesmo porque, ainda com o Bandeira em mente, já vim m’ embora pra Pasárgada e continuo me lixando pro rei.
Ainda assim, convido-os a sorver esta maravilha.


MOMENTO NUM CAFÉ
(Manoel Bandeira)

Quando o enterro passou
Os homens que se achavam no café
Tiraram o chapéu maquinalmente
Saudavam o morto distraídos
Estavam todos voltados para a vida
Absortos na vida
Confiantes na vida.

Um no entanto se descobriu num gesto largo e demorado
Olhando o esquife longamente
Este sabia que a vida é uma agitação feroz e sem finalidade
Que a vida é traição
E saudava a matéria que passava
Liberta para sempre da alma extinta.

SERÁ QUE FALTOU KOMBI?!

Conforme se pode ver por esta matéria que acabo de ler no FOLHA ONLINE, é fantástica a capacidade de organização e movimentação das viúvas. Assim como daqueles que têm o intestino satisfeito e a boca cheia d'água.
Senão, leiamos:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u317645.shtml
"Uma manifestação contra o governo Lula reúne cerca de (...)
Vários participantes se dizem "de direita", mas afirmam que o movimento não tem vinculação partidária."

22 julho, 2007

DESEJO

... e numa espécie de homenagem aos que se arriscam:

desejo

caiu-me a vida
como uma luva
a questã é minha mão
a crescer
a crescer
a crescer...

lagoa, 22/07/07

A ESPERANÇA, DE MALRAUX

Mais uma vez, minha Bonita alimenta minh’alma ao me apresentar este cabôco cidadão do mundo, destrinchado por ela em sua tese. E continuo a acreditar que a vida nunca sacaneia quem dela gosta, pois sempre me abrem alguma janela.
Experimentem este trecho de A ESPERANÇA, obra de André Malraux, na qual ele escreve sobre os sentimentos dos envolvidos na Guerra Civil Espanhola.
“Shade parou na primeira casa destruída. A chuva tinha cessado, mas dava para senti-la ainda próxima. Mulheres com xales negros faziam fila atrás dos milicianos do serviço de socorro que retiravam dos escombros uma corneta de gramofone, um embrulho, um pequeno cofre...
No terceiro andar da casa, na perpendicular como uma decoração, um leito pendia, suspenso por um dos pés a um teto partido: aquela sala tinha esvaziado na sarjeta, quase aos pés de Shade, seus retratos, seus brinquedos, suas caçarolas. O térreo, apesar de arrombado, estava intacto, tranqüilo como a vida, seus moradores agonizantes levados pela ambulância. No primeiro andar, em cima de um leito coberto de sangue, um despertador tocou, a campainha perdida na desolação da manhã cinzenta.”
Puro cinema!
Assim como em outra maravilha da escrita, A CONDIÇÃO HUMANA, Malraux explode suas fotossílabas, fotofrases, fotofrutos de sua presença na vida.
Arrisquem-se!

11 julho, 2007

COTAS NA UFSC

— Cotas... cotas... Eu acredito no estado, estudei muito para chegar a esta universidade. E você o que fez para estar aqui!?
— Além de estudar, trabalhei bastante, né? Afinal, alguém precisava trabalhar neste país.
Obs.: imagem e diálogo "emprestados" do site ((já agradeço e recomendo): http://www.mauriciopestana.com.br/





Notícias - Educação 10/07/2007 16h59min

UFSC define cotas para negros e estudantes carentes no vestibularSerão reservadas 20% das vagas para estudantes de escolas públicas e 10% para negros.


A Universidade Federal de Santa Catarina vai reservar 20% das vagas para estudantes oriundos de escolas públicas e 10% para negros formados em colégios públicos. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário da UFSC e já vale para o próximo vestibular.
O Conselho garantiu cinco vagas para indígenas, com o aumento de uma nova vaga a cada ano letivo. Só serão permitidos dois índios por curso. Caso o percentual de negros não atinja o patamar, as vagas restantes serão destinadas a jovens vindos de outros tipos de estabelecimentos de ensino.
A decisão vigora pelos próximos quatro anos e poderá sofrer os ajustes que a administração da instituição e os demais membros do conselho considerarem necessários.
A reunião do Conselho Universitário teve a participação de representantes do movimento negro, de comunidades indígenas, de estudantes e da comunidade.

(...)


Alguns comentários:


- João Guilherme 11/07/2007 08:41
Pra mim cotas nada mais é que mais uma forma de preconceito e discriminação contra negros Apesar do argumento de que na universidade o desempenho dos aluno "cotistas" em comparação aos alunos "normais" é semelhante com certeza vai rola preconceito E pra mim não tem essa de compensar tudo oq os negros sofreram durante o periodo escravista e sofrem ainda hoje, balela.

- Priscila Vieira 11/07/2007 08:57
Concordo com o amigo acima Guilherme Henrique, e mais, lutam tanto em nosso país contra o RACISMO, e o que estão fazendo não é racismo? Porque vagas diferenciadas a negros e índios? Eles possuem alguma anormalidade que não os possibilitam de concorrer as vagas juntamente com os brancos? Eles não podem frequentar cursinhos, ou terem estudado em bons colégios? Me refiro a bons colégios, porque a verdadeira intenção da UFSC não é seguida, ou seja, foi feita uma universidade gratuita para ricos.

- André Cruz 11/07/2007 09:32
Tem é que investir no ensino público, médio e fundamental, para que todos tenham igual chance no vestibular. Os vestibulandos de comunidades carentes não passam por que não têm dinheiro para fazer cursinho, além de muitos terem que trabalhar já na idade de fazer vestibular. Essa medida é discriminatória, ofensiva e é um atalho tomado para resolver um problema que é bem mais grave, a falta de qualidade do ensino público.

- Rodrigo 11/07/2007 10:05
Acredito que com essa atitude os dirigentes estão, nada mais nada menos, do que estimulando o preconceito racial ainda mais. Os próprios negros deveriam ser contra essa tipo de ato, pois se a idéia é de IGUALDADE entre as raças, como poderiam os negros terem direitos diferentes dos brancos???

- Shasça 11/07/2007 10:29
Qual era a opinião destas pessoas contrárias ao sistema de cotas, durante os séculos em que vigorou o “sistema de anticotas”? A proposta não é para sempre e, muito menos, vai durar cinco séculos. É uma tentativa de oferecer uma chance a uma parte da tal sociedade que sempre foi boicotada. Claro que é preciso investir no ensino básico. Porém, o que fazer com as pessoas que já terminaram o ensino básico ou que já estão em idade de prestar vestibular? Por opiniões como estas de vocês dois (Rodrigo E André Cruz) é que tenho certas dúvidas a respeito da solidariedade do brasileiro, que só aparece no discurso.


E vc aí, elegante e sincero leitor? Qual a tua opinião? Ou melhor: qual o teu movimento?

03 julho, 2007

DUAS


1. No programa CONTA CORRENTE, da GLOBONEWS (02/07/07), aparecem alguns trechos de uma entrevista com o Dr. Prof. e outros “ors” ex-ministro Bresser Pereira, aquele que sorria enquanto punha. O ilustre entrevistado dá aulas de como tirar o brasirsão do buraco e afixá-lo entre as grandes e ricas nações do mundo. Tem a receita prontinha. Tão ou mais pronta que ao seu tempo de sinis... ops! ministro. Muito acontece de o cara, depois de largar a boca, descobrir o que se deve fazer com ela.
Daí, lembro-me que ainda tem uma carrada de brasileiros tentando recuperar as perdas que tiveram com um tal de Plano Bresser. Porém, como o engravatadinho
Vidor e o plastificado Abranches, até onde consegui assistir, nada perguntaram sobre as tais perdas, fiquei a pensar que minha memória sacaneou-me novamente.
E o sini(mi)stro, ou mi(si)nistro ficou lá a resolver o deficit público, a taxa de câmbio e cheguei quase a acreditar que o brasirsão pode crescer a big-taxas argentinas, incluindo racionamento de combustíveis e inflação, e chinesas, incluindo não-inss, ticket refeição, vale-transporte et caterva.
A lobotomia talvez me tornasse um feliz crente nas hienas.

2. No programa CARTÃO VERDE, da TV CULTURA, o repórter que acompanha a selebosta dunguista diz que o astro-rei Robinho não curtiu a música do Tom Jobim que rolava em certo lugar onde o escrete salafrinho estava. Foi lá, trocou um guli-gulé com o DJ e meteu uns axés e outras babas, o que tornou a patuscada feliz da vida. Felizes que nem pinto no lixo, como diz o vulgo.
Espanta-me como a distância entre o pé e o cérebro pode ser humana. Demasiada humana, como grunhiria um certo bigodudo. E nem sou muito fã de bossa nova.
Fosse saudosista, baixar-me-ia tremenda saudade de Sócrates, Afonsinho e mais algum. Não o sou. Será Vampeta é dos poucos boleiros que dizem coisa com coisa?! Os bambis não concordariam, mas até aí...
Li, certa vez, que Vampeta impediu o tombamento do cinema de sua cidade natal, lá no Recôncavo. Estivesse por perto, Robinho teria denunciado o baiano ao IPHAN.
A lobotomia, por vezes, pode ser desnecessária.

Lagoa, 02/07/07

26 junho, 2007

Véi Leite e Ionesco e vice e versa

E fui eu assistir “O NOVO INQUILINO”...
Felizmente, antes, dei uma sapeada na internet e encontrei o site que citei no post anterior. Muito me ajudou a viajar durante o transcorrer da peça. O estilo de palpitar do tal inquilino (Cumpade Diego) me trouxe as várias vezes em que minha família mudou-se e meu pai lá, sempre ordenando tudo e pondo a mão em nada:
- “Aí, põe a geladeira aí, na cozinha, aí, perto da tomada!”
Ou, quando uma lâmpada queimava-se, parado na calçada esperando passar uma vítima. Záz!
- “Mareca! Mareca! O menino aqui vai trocar a lâmpada."
Cena corriqueira: minha mãe indignada, o desconhecido e incauto passante, em cima de uma cadeira, esticando-se todo pra colocar a lâmpada e o Leite no comando:
- “Isto, meu filho! Aperta bem se não queima, viu?”
E emendava:
- “Uma vez, quando eu trabalhava em Três Marias...”
Porém, ainda pensando nas ionesquices, Véi Leite, no fundo, tem um bocado do Berenger, personagem de “O RINOCERONTE”: nunca botou muita fé no “social” e, muito menos, seguiu a cartilha.
Meu muito obrigado à minha artista predileta e à turma envolvida no espetáculo, pela viagem que me proporcionaram. Creio que teatro, assim como as outras artes, é isto mesmo: a possibilidade de viajar sem aditivos.
Pra fechar, também me lembrei de algo que disse ao Patão, um outro irmão aí. Mais de década atrás, conversávamos sobre papos e reuniões que ele tinha o prazer de desfrutar na universidade. Daí, ele junta as mãos (sabem aquela posição com os dedos em pinça, virados pra cima?) e solta esta frase tão clássica:
- “Isto é um absurdo!”
Ao que retruquei:
- “Patão, absurdo é um elefante entrar voando pela janela. Agora, se entrar, já não é um absurdo, pois tá acontecendo.”
Dias depois ele me conta que, durante mais uma daquelas reuniões que ele tanto adora, alguém soltou:
- “Mas, isto é um absurdo!”
Disse-me ele que, na hora, olhou pela janela e chegou a ver um elefante entrando.
É isto! Ionesco, Véi Leite, rinocerontes e elefantes, cada um tem lá sua razão pra duvidar da mesma.
Eu cá, nem na minha, fico.

25 junho, 2007

NASCE UMA ESTRELA?!

"Você sabia que o "teatro do absurdo", criado por Eugene Ionesco, teve sua origem num livro-texto para o ensino de inglês, que apresentava diálogos entre um casal onde, a pretexto de ensinar o vocabulário de uma estrutura familiar, reproduzia conversas absurdas entre marido e mulher como, por exemplo, esta informando ao marido que eles têm três filhos, que ele trabalha como auxiliar de escritório e que o sobrenome deles é Smith? A consciência do absurdo desses diálogos inspirou Ionesco a escrever sua primeira peça, A Cantora careca, em cuja cena mais famosa dois estranhos dialogam sobre banalidades como o tempo, o lugar onde vivem, quantos filhos têm para, surpreendentemente, descobrirem que são marido e mulher." *



Estréia em Floripa e é E é de grátis!!!

O NOVO INQUILINO, de Eugéne Ionesco:

Com Patrícia Pinheiro, Diego Teles, Andrés Tissier e Mário César Coelho

Tradução: Luiza Neto Jorge / Cenografia, cenários e figurinos: Maria Fernanda Jacobo / Assistente de cenografia: Juliano Souza / Quadros: Saulo Popov / Maquiagem: Alexandre Gonzales / Criação musical e execução: Daniel da Luz / Produção musical e sonoplastia: Rosane Faraco Santolini / Projeto gráfico: Daniel Olivetto / Assistente de direção: Luana Garcia / direção: Fabiano Lodi
DIA 25 DE JUNHO (segunda-feira) às 20h30
DIA 26 DE JUNHO (terça-feira) às 17h30 e 20h30
ESPAÇO II - Centro de Artes - UDESC - Entrada Gratuita


* Mais informaçvões sobre o cara da cantora careca: http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/espiral/noosferab7.htm

17 junho, 2007

POIS AGORA...


Meu povo,
Eu cá, compreendo o fato de órgãos de imprensa investirem mais tempo, profissionais e espaço a fatos e versões que inundam nossos olhos, ouvidos e dedos (é, embora muitas vezes esquecidos, tem o pessoal que lê com os dedos) com muitas tragédias e poucos tangos. A humanidade adora sangue. Mesmo os monges! Conforme diz a lenda,foram eles que inventaram o kung-fu, uma forma de carinho alternativo
Vejam só a resposta da Revista Época à reclamação do Lulinha sobre a imprensa enfatizar apenas as más notícias. Claro que não ignoro que algumas pessoas afirmam que a Rede Globo e, hoje em dia, aliada do governo. Enfim, para quem gosta de leitura, informação e boas notícias, o artigo está em:
Segue um trecho:

"
Nem só de más notícias vive o mundo dos negócios. (...)
O índice de crescimento do PIB representa uma média do que acontece na economia. Como toda média, esconde o que fica acima e o que fica abaixo. Há, portanto, atividades que crescem pouco ou quase nada. Um exemplo: nos ramos de vestuário, pecuária e bens de consumo houve queda de 5%, 0,8% e 0,4%, respectivamente, em 2006, de acordo com dados setoriais. Mas há também uma economia pujante dentro do Brasil, que nada fica devendo a estrelas emergentes como China e Índia. Entre os setores que mais crescem, destacam-se: construção civil, comércio eletrônico, higiene e beleza, móveis, turismo, veículos e, claro, toda a cadeia produtiva do álcool, ou etanol, o “combustível verde”. (...) O setor aéreo, apesar dos percalços que transformaram num inferno a vida de milhares de passageiros nos últimos tempos, cresceu 42% em 2006. Neste ano, deverá continuar a crescer no mesmo ritmo. Considerando que, no Brasil, o catastrofismo dos economistas e a choradeira compulsiva dos empresários costumam dar o tom do noticiário econômico, é sempre estimulante constatar que as coisas, ao final, não são tão ruins quanto podem parecer à primeira vista. “Não vai faltar capital para o Brasil crescer 6%, 7% ou 8% ao ano”, afirma Rodolfo Riechert, responsável pelo braço de investimento do Banco UBS Pactual, o mais ativo do país na emissão de ações de empresas na bolsa de valores
."


Obsservações referentes ao gráfico:

a) (1) Estimativa (2) Projeção com base no desempenho do primeiro trimestre de 2007;

b) fontes para elaboração do gráfico: IBGE e associações empresariais.

À maravilhosa vaidade feminina!

Recebi uma intimação de Cumpadi Guilherme, um manezim que consegue rir enquanto bebe seis sucos de laranjas e duas garrafas de água, pra acompanhar legítimos acepipes mineiros (não sabem o que é acepipe?! plagiando o Prates: vão procurar o dicionário!), referente à minha ausência bloggística. Até pensei, por causa da saída gargalhante que oferecemos ao Cacá, pra quem o bicho só se tiver uma carrada de pernas e antenas, em postar alguma brincadeira alegre. A postagem também seria uma espécie de homenagem a Dercy. Fica pra depois.
Não deu!
Acabo de receber via TV, este trem que os intelectuais e os desavisados adoram chamar de alienante (neste exato momento, Mestre Pinsky mais dois estão discutindo éticas e otras cositas más no programa do impoluto William Waack, com base no escândalo Calheiros), uma overdose de crueldade: uma entrevista com a Rosie Marie Muraro (fantástica!) e um documentário sobre visitas familiares e/ou íntimas (intímas?!) a seus maridos, namorados e filhos. Incomodei-me e mudei de idéia e aí vai um poema que escrevi quando morava no Cassino. Havia assistido um Globo Repórter sobre prisioneiras do Talavera Bruce, presídio feminino carioca. Quando acabou o programa meu cérebro de castanha ficou a matutar: “como estas gurias mantêm a vida, mesmo com a sociedade desejando ardentemente a sua morte!”
A foto, "emprestei" de autoria de Genna Naccache.
Aí vai o fruto. Bom divertimento.


TAL É VERO?

1. A SOLIDÃO É A MASMORRA

ao seu modo
conseguiu alforria
mas o pesado portão ainda lá estava
a obstruir o curso da vida

à espreita
um cupido anarquista

não resistiu

em prantos
bêbada e feliz
entregou-se
abraços beijos
o coração a conduzir o corpo
eterno escravo da paixão

ninguém entendeu:
“- por uma mulher?!”

para boa amante
meio olhar basta

2. “JÚLIA ROBERTS”

decididamente
a vida não é “O FILME”
woo não há
bruce não invadirá talavera
tronitruante
grades flutuando em câmera lenta

na tela
o sorriso largo
insiste
em manter o corpo
no balão de esperança

na película
o orgulho da pátria madastra
a cor vendida em verso & prosa
correndo o mundo
em catálogos de agências de viagens

sangram 24 quadros por segundo

3. KABUKI

toda manhã

pacientemente
o senhor de tudo e todos
tece fio por fio
em prata:
alguma ruga nova insinua-se

toda manhã é a mesma

sobre o caixote de maçã
espelho
pincéis tintas
potes bastões tesouras pinças:
a arte e o ofício
de estancar o tempo

por fim
o lápis
traça o contorno dos lábios
aprisionando o batom
resguardando a sede

sob a pintura
a vida retesada

lá fora
a vida continua?


(às borboletas
que do Talavera Bruce
já não podem)

Cassino, 95

16 junho, 2007

Olhem só o medo que deu ao saberem que a TV Engana-Bobo de Venezuela acabou

Li um artigo do Sr. William Waack "Brasil derrapa na diplomacia", de 04/06/200747, que pode ser degustado em: http://g1.globo.com/Noticias/Colunas/0,,7420,00.html
Trecho do artigo:
"Que ninguém me entenda errado, mas um general como Ernesto Geisel, que os atuais ocupantes do Planalto tanto admiram (pelos motivos equivocados, aliás), sabia peitar um outro país quando se julgava atacado. Fez isso com os Estados Unidos, diga-se de passagem. A atual política externa brasileira não sabe falar nem grosso e nem suave, mas nossos vizinhos sabem que ela sempre cederá. Foi assim com a Bolívia, com a Argentina e com a Venezuela. Será assim amanhã com o Paraguai?"

Comentário postado por este incréu junto ao artigo:
"É interessante o uníssono dos que aqui comentam o artigo do Sr. Waack. Imagino que agem da mesma maneira, assim como o próprio articulista, em relação à ocupação do Iraque, aos massacres de palestinos, africanos, hóspedes de Guatánamo. A partir de 2010, poderemos declarar guerra a venezuelanos, bolivianos, equatorianos e assemelhados. Com pequeno esforço é possível reeditar democráticas e humanitárias ações diplomáticas como a que executamos no Paraguai. Boa sorte pra nós todos!"
05/06/07 01:00:37

02 junho, 2007

FÃ DO FAM


O 11º FAM começou hoje, 01/06/07. Informações sobre este evento - que eu já afirmei que uma das melhores coisas pra se fazer em Floripa, podem ser encontradas no site: www.fam2007.com.br
O Antônio Celso dos Santos, coordenador geral do FAM, rasgou o verbo e foi muito feliz ao fazê-lo.
O filme de abertura, com direito a uma merecida performance desabafante do diretor Beto Brant foi CÃO SEM DONO (
http://www.caosemdonopoa.com ): simples, direto e real. Tão real que cheguei a sentir a mão da Bunitinha apertando a minha, quando a Marcela convida o Ciro pra ir pra Barcelona. Disse isto pessoalmente ao Júlio Andrade, além de parabenizar, na sua pessoa, a todos os envolvidos no projeto.
Quanto à platéia... Bem, pra variar, uma parte ainda não aprendeu que se ficasse calada quando alguém estivesse falando ao microfone ou quando o filme estivesse ocupando a tela, aprenderia muito mais. Como a platéia é formada por pessoas mui inteligentes e elegantes, não cabe aqui aquele ditado lá da terrinha: quando um burro fala, o outro murcha a orelha.
Boa sorte pra nós todos!

25 maio, 2007

E A ALGEMA VAI PARA...

E a nação pseudo-tupiniquim vai agüentar mais esta, numa boa?!
Digo "pseudo-tupiniquim" porque a tupiniquim de verdade já estaria pintando as bordunas.
Boa sorte pra nós todos!

Notícias - 23/05/2007 16:03 h
TORON: “ALGEMA É PARA PRETO, POBRE E P...”
Paulo Henrique AmorimMáximas e Mínimas 413
A frase do dia: “Decreta-se a prisão temporária, a Polícia Federal exibe o preso como um troféu, algema-o desnecessariamente e o exibe em horário nacional. É um ‘escracho’. O que se fazia, antes, contra preto, pobre e puta é feito com outros presos. E há quem aplauda”.
O autor da frase é o advogado Alberto Zacharias Toron, diretor do Conselho Federal da OAB, que defende o ex-procurador geral do Maranhão, Ulisses Cesar, suspeito de participar de esquema de fraude em licitação para beneficiar a construtora Gautama.
O Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu um habeas corpus a Ulisses César (http://conversa-afiada.ig.com.br/materias/433001-433500/433082/433082_1.html).
Toron subiu as escadas da fama por defender o juiz Nicolau dos Santos Neto, também conhecido como “juiz Lalau”.
Voltou à planície na condição de advogado de Daniel Dantas, que não chega a ser juiz, mas é como se fosse.

08 maio, 2007

DISSE-ME-DISSE

Meu povo, ao contrário do que se divulga, às vezes, consegue-se enganar a maioria por muito tempo, se o bom-mocismo é o meio.
Aí vai um artigo do Dimenstein com o qual tive dificuldades em concordar. O que, em se tratando deste incréu, não é raro acontecer.

O texto dele está em http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/ult508u356.shtml e segue abaixo. Minha tentativa de resposta está em seguida e foi publicada no http://www1.folha.uol.com.br/folha/dimenstein/palavra/gd080507.htm juntamente com outras manifestações.

FOLHAONLINE - PENSATA, 08/05/2007
Rappers, pobres e violentos
Não gosto de rap, meu ouvido foi educado para outros ritmos. Gosto ainda menos daquela indumentária e dos trejeitos dos seus cantores, copiados dos americanos, numa servilidade colonizada --algo que se vê, na mesma medida, com nossa elite, curvada para o que vem de fora. Não consigo ver neles nada parecido com o encanto e, muitas vezes, a profundidade de nossos repentistas nordestinos.Mas, por outros motivos, aprendi a respeitar o rap e, por isso, considero injustas críticas lançadas contra o Mano Brown, acusando-o de ter incitado a violência na Virada Cultural. Tais críticas refletem uma visão preconceituosa não contra um estilo musical mas contra a periferia.A violência das letras de muitos rappers refletem o ambiente em que vivem, marcado pelo desrespeito e, por isso, estabelecem uma vinculação tão forte com jovens da periferia.Testemunhei como muitos rappers, como Mano Brown e Rappin Hood, se preocupam em difundir uma cultura de paz; Mano Brown, junto com o escritor Ferrez, criou uma biblioteca onde era antes um ponto de drogas. Não são fatos isolados. Fazem parte da própria cultura do hip hop, na qual se vê a arte como forma de integração. Cria-se assim um elo com quem não tem elo.O que aconteceu na Virada Cultura é culpa de um grupo de marginais que estavam esperando qualquer pretexto para extravasarem sua marginalidade --e, em certa medida, do poder público que programou o show para aquele horário e naquele lugar, sem saber que, em muitos desses espetáculos, existem conflitos, mas que poucos tomam conhecimento justamente porque acontecem na periferia, bem longe de nossos olhos.PS - Defendo, porém, que não se chame mais os Racionais para tocar em eventos públicos se não assumirem o compromisso de respeitar a platéia. Até onde sei, foram os únicos a se atrasarem. Que façam isso com dinheiro privado, é problema deles. Com dinheiro público, é nosso.
Gilberto Dimenstein, 48, é membro do Conselho Editorial da Folha e criador da ONG Cidade Escola Aprendiz. Coordena o site de
jornalismo comunitário da Folha. Escreve para a Folha Online às terças-feiras.


Sr. Dimenstein.
Qual a origem dos estilo das calças, camisas, ternos e sapatos que o Sr. usa? Tupiniquim, por acaso? Conforme a disposição do ouvido, Diário de Um Detento pode ser mais profundo, porque mais concreto, que um cordel sobre o cangaço. Já que seu ouvido não foi educado para a "barbárie", experimente ler a letra ao som de violinos. Eu, cá, provavelmente por alguma falha em minha capacidade de análise, consigo ver a mesma vibração pungente que há em Disparada, por exemplo.
É interessante saber que o Sr., mesmo respeitando os rappers por outros motivos, defenda que eles não mais sejam convidados - ou contratados, para "tocar em eventos públicos se não assumirem o compromisso de respeitar a platéia."
É a primeira vez que artistas (pelo que imagino, nem sei se assim os considera) atrasam-se em eventos? O Sr. também defende que todos os outros artistas que tenham atrasado, caso seja do seu conhecimento, também sejam excluídos dos eventos pagos com dinheiro público?
Ats.
Shasça