11 julho, 2007

COTAS NA UFSC

— Cotas... cotas... Eu acredito no estado, estudei muito para chegar a esta universidade. E você o que fez para estar aqui!?
— Além de estudar, trabalhei bastante, né? Afinal, alguém precisava trabalhar neste país.
Obs.: imagem e diálogo "emprestados" do site ((já agradeço e recomendo): http://www.mauriciopestana.com.br/





Notícias - Educação 10/07/2007 16h59min

UFSC define cotas para negros e estudantes carentes no vestibularSerão reservadas 20% das vagas para estudantes de escolas públicas e 10% para negros.


A Universidade Federal de Santa Catarina vai reservar 20% das vagas para estudantes oriundos de escolas públicas e 10% para negros formados em colégios públicos. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário da UFSC e já vale para o próximo vestibular.
O Conselho garantiu cinco vagas para indígenas, com o aumento de uma nova vaga a cada ano letivo. Só serão permitidos dois índios por curso. Caso o percentual de negros não atinja o patamar, as vagas restantes serão destinadas a jovens vindos de outros tipos de estabelecimentos de ensino.
A decisão vigora pelos próximos quatro anos e poderá sofrer os ajustes que a administração da instituição e os demais membros do conselho considerarem necessários.
A reunião do Conselho Universitário teve a participação de representantes do movimento negro, de comunidades indígenas, de estudantes e da comunidade.

(...)


Alguns comentários:


- João Guilherme 11/07/2007 08:41
Pra mim cotas nada mais é que mais uma forma de preconceito e discriminação contra negros Apesar do argumento de que na universidade o desempenho dos aluno "cotistas" em comparação aos alunos "normais" é semelhante com certeza vai rola preconceito E pra mim não tem essa de compensar tudo oq os negros sofreram durante o periodo escravista e sofrem ainda hoje, balela.

- Priscila Vieira 11/07/2007 08:57
Concordo com o amigo acima Guilherme Henrique, e mais, lutam tanto em nosso país contra o RACISMO, e o que estão fazendo não é racismo? Porque vagas diferenciadas a negros e índios? Eles possuem alguma anormalidade que não os possibilitam de concorrer as vagas juntamente com os brancos? Eles não podem frequentar cursinhos, ou terem estudado em bons colégios? Me refiro a bons colégios, porque a verdadeira intenção da UFSC não é seguida, ou seja, foi feita uma universidade gratuita para ricos.

- André Cruz 11/07/2007 09:32
Tem é que investir no ensino público, médio e fundamental, para que todos tenham igual chance no vestibular. Os vestibulandos de comunidades carentes não passam por que não têm dinheiro para fazer cursinho, além de muitos terem que trabalhar já na idade de fazer vestibular. Essa medida é discriminatória, ofensiva e é um atalho tomado para resolver um problema que é bem mais grave, a falta de qualidade do ensino público.

- Rodrigo 11/07/2007 10:05
Acredito que com essa atitude os dirigentes estão, nada mais nada menos, do que estimulando o preconceito racial ainda mais. Os próprios negros deveriam ser contra essa tipo de ato, pois se a idéia é de IGUALDADE entre as raças, como poderiam os negros terem direitos diferentes dos brancos???

- Shasça 11/07/2007 10:29
Qual era a opinião destas pessoas contrárias ao sistema de cotas, durante os séculos em que vigorou o “sistema de anticotas”? A proposta não é para sempre e, muito menos, vai durar cinco séculos. É uma tentativa de oferecer uma chance a uma parte da tal sociedade que sempre foi boicotada. Claro que é preciso investir no ensino básico. Porém, o que fazer com as pessoas que já terminaram o ensino básico ou que já estão em idade de prestar vestibular? Por opiniões como estas de vocês dois (Rodrigo E André Cruz) é que tenho certas dúvidas a respeito da solidariedade do brasileiro, que só aparece no discurso.


E vc aí, elegante e sincero leitor? Qual a tua opinião? Ou melhor: qual o teu movimento?

4 comentários:

Wilton Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wilton Silva disse...

A questão das cotas é um prato cheio para a polêmica: muitos se opõem negando a existência da discriminação racial e da exclusão social dela decorrente, outros tantos a apoiam acreditando na necessidade política de se afirmar a identidade negra, uns temem que elas maculem a qualidade do ensino público na Universidade, alguns acreditam que são um poderoso mecanismo de inclusão social... pessoalmente acho a racialização um equívoco, mas a necessidade de cotas sociais uma necessidade fundamental da sociedade brasileira .
No dia 2.9.2006 coloquei meus palpites desse tema no meu blog tbém...
http://miojoviejo.blogspot.com/2006_09_01_archive.html
Mas esse tema ainda renderá MUITA polêmica! Razão e Paixão não gostam uma da companhia da outra...

susanna disse...

Eu tenho uma firme posição sobre isso. Acho que o governo e demais setores da sociedade querem tapar o problema da educação com uma peneira, rivilegiando as classes menso favorecidas por questões econômicas ou por questões de raça, em vez de investir como deveria e seriamente na qualidade do ensino público para todos, independentemente da raça, credo, ou nível social e econômico. Há uma cegueira geral quando se fala sobre isso. Eu quero condições iguais e amplas para todos. Acho as cotas uma espécie de apartheid no fundo. Pode até favorecer hj alguns mas não altera a situação do ensino de forma geral. Era isso.

Beck disse...

Segue endereço de um doc sobre preconceito, particularmente o racial, no youtube. São 12 vídeos ao todo de um workshop premiado. Importante para se discutir o sistema de cotas sem ingenuidades. Trocamos idéias depois.

http://www.youtube.com/watch?v=bJLmP7s-7Gw

Abraço
Alexandre Beck