03 julho, 2007

DUAS


1. No programa CONTA CORRENTE, da GLOBONEWS (02/07/07), aparecem alguns trechos de uma entrevista com o Dr. Prof. e outros “ors” ex-ministro Bresser Pereira, aquele que sorria enquanto punha. O ilustre entrevistado dá aulas de como tirar o brasirsão do buraco e afixá-lo entre as grandes e ricas nações do mundo. Tem a receita prontinha. Tão ou mais pronta que ao seu tempo de sinis... ops! ministro. Muito acontece de o cara, depois de largar a boca, descobrir o que se deve fazer com ela.
Daí, lembro-me que ainda tem uma carrada de brasileiros tentando recuperar as perdas que tiveram com um tal de Plano Bresser. Porém, como o engravatadinho
Vidor e o plastificado Abranches, até onde consegui assistir, nada perguntaram sobre as tais perdas, fiquei a pensar que minha memória sacaneou-me novamente.
E o sini(mi)stro, ou mi(si)nistro ficou lá a resolver o deficit público, a taxa de câmbio e cheguei quase a acreditar que o brasirsão pode crescer a big-taxas argentinas, incluindo racionamento de combustíveis e inflação, e chinesas, incluindo não-inss, ticket refeição, vale-transporte et caterva.
A lobotomia talvez me tornasse um feliz crente nas hienas.

2. No programa CARTÃO VERDE, da TV CULTURA, o repórter que acompanha a selebosta dunguista diz que o astro-rei Robinho não curtiu a música do Tom Jobim que rolava em certo lugar onde o escrete salafrinho estava. Foi lá, trocou um guli-gulé com o DJ e meteu uns axés e outras babas, o que tornou a patuscada feliz da vida. Felizes que nem pinto no lixo, como diz o vulgo.
Espanta-me como a distância entre o pé e o cérebro pode ser humana. Demasiada humana, como grunhiria um certo bigodudo. E nem sou muito fã de bossa nova.
Fosse saudosista, baixar-me-ia tremenda saudade de Sócrates, Afonsinho e mais algum. Não o sou. Será Vampeta é dos poucos boleiros que dizem coisa com coisa?! Os bambis não concordariam, mas até aí...
Li, certa vez, que Vampeta impediu o tombamento do cinema de sua cidade natal, lá no Recôncavo. Estivesse por perto, Robinho teria denunciado o baiano ao IPHAN.
A lobotomia, por vezes, pode ser desnecessária.

Lagoa, 02/07/07

2 comentários:

Deivid - Baixistoso disse...

Caro amigo, quanto ao Bresser melhor o silêncio, já em se tratando da seleção Dunguista, reporto-me a um velho amigo que dizia: “Nunca confie num homem que não bebe”, razão pela qual dessa vez daremos maior importância ao Vampeta, abraços!!!

8:57 AM

Lu disse...

Véio!
Não consigo ler essas letras coloridinhas sobre o fundo preto. É a idade (minha), eu sei.
*beijos*