09 novembro, 2010

CPMF: É PRECISO TIRAR O "P"

A questão fundamental não é a cobrança de impostos. É a não exigência, por parte da população, da aplicação dos recursos arrecadados adequada às suas necessidades. Os empresários, desde que esta categoria existe, não gostam de pagar impostos. Embora tenham por costume cobrar boas vias de circulação para SUAS mercadorias, segurança para SEUS empreendimentos e outros benefícios do tipo.
Quanto à CPMF, pelo valor do tributo a ser pago, ainda me parece que seu maior "perigo" é rastrear por onde circula o dinheiro. Num país onde o trambique é um dado cultural, isto assusta os adeptos de tal costume. Não estou dizendo que todos aqueles que se opõe à cobrança da CPMF são trambiqueiros. Digo que os trambiqueiros são os principais beneficiados pela ausência do controle. Controle que também deve ser implacável na aplicação das verbas destinadas à Saúde, Educação etc. duela a quien duela.
Não devemos esquecer que, mesmo que a afirmação atinja o patriotismo tupiniquim, a Inconfidência Mineira teve como gatilho um aumento dos impostos. Liberais não gostam de pagar impostos. Boa parte dos inconfidentes preocupava-se, na verdade, com os caraminguás que a Corte lhes exigia e não com as condições de vida dos escravos ou com a soberania nacional. Entre outros, consulte, por exemplo, A CONJURAÇÃO MINEIRA E A MAÇONARIA QUE NÃO HOUVE, de José Castellani e Frederico Guilherme Costa.
Ademais, não conheço ninguém que tenha melhorado de vida, assim como não conheço produto ou serviço cujo preço tenha diminuído devido ao fim da CPMF.
Que venha a CMF – Contribuição sobre Movimentação Financeira!
Você, que enriquece o blog com sua visita, conhece?

17 comentários:

Carlos Reis disse...

Não sou contra a cobrança de impostos. Sou contra a covardia que é cometida com os contribuintes que pagam seus impostos para pouco proveito dos mesmos. Enquanto houver corrupção no Brasil, qualquer imposto não será bem aceito. Falta a base, educação, princípios morais, vontade de melhorar o país, o próximo. De que adianta ser rico e não poder usar o cordão de ouro sem medo de ser roubado?

Um grande abraço.

HENRIQUE SERGIO disse...

PARABENS PELO TEXTO. EXTREMAMENTE LÚCIDO. TEMOS QUE ENTENDER AS RAZÕES DOS CONTRAS, PARA NÃO EMBARCARMOS NAS ONDAS DA SONEGAÇÃO E CAIXA 2. ENTENDO QUE A CMF É O TRIBUTO MAIS EFICAZ, POIS É BARATO E ALTAMENTE ARRECADADOR, ALEM DE CUMPRIR O PAPEL FISCALIZADOR DAS MOVIMENTAÇÕES FINANCEIRAS.
SOU FAVORAVEL. DESDE QUE JUNTO DE OUTRAS MUDANÇAS TRIBUTÁRIAS, ACABANDO INCLUSIVE COM A GUERRA FISCAL ENTRE OS ESTADOS. VALEU, VOCE DEU UMA LIÇÃO QUE NAO PODE SER ESCRITA EM 140 CARACTERES, MAS VALE MIL RTs.

Eduardo Rocha disse...

Ótimas colocações, meu caro, por isso pessoas como você fazem a diferença no pleno debate de idéias. Um abraço.

Maria Amora disse...

Não acho que precisamos de mais impostos. O q precisamos realmente é de fiscalização aos gastos públicos, às obras superfaturadas, clareza das contas públicas e fiscalização nas privadas.
Não acredito definitivamente que um imposto a mais fará a saúde melhorar ou o quer que seja.
O descrédito que um governo corrupto produz, impede seu crescimento e compromete seu desenvolvimento.

Milu disse...

Sou a favor da CMF, tirando o F, mas acompanhada de uma ampla reforma fiscal, que reduza a carga tributária indireta, bem como a sonegação. É inegável que, a arrecadação deverá ser realmente revertida em benefício dos cidadãos, sobretudo no sentido de reução da miséria. Aí, sim, é mais do que válido.

Barata Voadora disse...

O problema não é cobrar, mas o uso.

A maquina já tem um custo altissimo, o povo tem um custo alto, de 40% da renda em impostos, por que nao diminui os custos do governo, pra que tanto acessor, tanto carrro, tanta viagem atoa, etc.

Mais uma contribuição? Ao inves de resolver problema usa se solucoes paleativas


Em 2001 tinhaa CID na gasolina, que aumentaria ou diminuiria conforme a demanda do preço para manter estabilizado. Pergunta se alguma vez abaixou? Nunca.

E claro, o uso a que se propoe essa taxação, não é para os beneficios que eles propoem

Alex da Força disse...

Excelente artigo. Bem mais do que fazer a gestão dos gastos públicos é indispensável dar transparência dos valores monetários circulantes no País. Muitos são contrários à CPMF, pois ela é de difícil sonegação. Não seremos nós pobres ou de classe média que devemos temer o retorno da CPMF ou CMF e sim aqueles que sempre lucraram e sonegaram impostos prejudicando o desenvolvimento do nosso País.

Hey_BullDog_ disse...

Podem rastrear meu dinheiro a vontade. O problema que me mata é que a carga tributária do Brasil é ridícula de alta e se justifica geralmente no tranbolho que nossa burocrática máquina administrativa, isso sem contar a corrupção inerente de nossos governos (TODOS OS PARTIDOS). Vamos instituir a CMF? Podemos. Mas devemos diminuir o peso da incompetência e corrupção de nossos governantes, afinal não importa o nome, a grana vai para eles mesmo.

Abraço

Cibele disse...

VOCE SIMPLESMENTE NÃO SABE COMO FUNCIONA ESTE MALDITO IMPOSTO - CPMF que eles teimam em chamar de "contribuição"imagine 100 reais que vc retira do bco paa pagar sua empregada ( pg CPMF )Este mesmo 100
sai da cta bancária da Empregada e vai para o pagamento do colegio. ( paga CPMF) O colégio paga funcionarios com esse 100 reais e paga de novo a CPMF..e assim vai... de centavinho em centavinho a CPMF recolhe milhões de reais sobre os seus 100 reais inicial... deu para entender? ( A desculpa socialista comunista de sempre..'são os empresários que mantem "essepaiz" funcionando... porque o resto é "sanguessuga"

Shasça disse...

Mesmo não concordando com todos, os comentários enriqueceram muito a minha postagem.
Quero deixar claro apenas um detalhe, se é que isto não ficou: sou favorável à efetiva punição de todo aquele que malversar com o bem público, seja trambiqueiro público, privado ou pedinte de esmola. Por isto é que, sendo mineiro, citei o grande engodo histórico que a Inconfidência Mineira.
Especificamente em relação à CMF, defendo algum tributo do tipo por se basear na concreta movimentação das riquezas, seja muita ou escassa, e não em declarações de rendimentos que (quase) todos sabemos, é manipulável.
Meu muito obrigado a todos os que colaboraram com o blog, de todas as formas.
{8¬)

Gilberto disse...

Discutimos este assunto em razão de que o nosso Congresso não ataca diretamente a ferida, ou seja: a reforma tributária. Discutimos este assunto por que a população não exige correta aplicação do dinheiro público. Como postei em meu blog, não sou contra a CPMF, pois acho o tributo mais justo. Creio, inclusive, que deveria substituir o IR.
Mas acima de tudo, como disseste, é preciso que vejamos que os impostos gastos voltem em benefícios da população.
Parabéns pelo post e por levantar este importante debate!
Abs.

João Gilberto Magalhães disse...

Se a CPMF, ou como você queira chamar, fosse o único imposto existente eu até acharia plausível pelos motivos expostos por você e mais uns tantos outros. Entretanto, ter a CPMF e manter os impostos atuais que pagamos é realmente um absurdo!!!!!!! Venhamos e convenhamos, é uma palhaçada!

Igor Moret disse...

Primeiro que já existem formas eficazes do governo fiscalizar a movimentação financeira do cidadão. Segundo que essa atribuição enganosa de “imposto para fiscalizar” é reconhecimento de incompetência do próprio governo por via da Receita Federal. Terceiro que o próprio governo Lula aumentou a carga tributária após a CPMF – vide IOF e CSLL. Quarto que a maior parte da população brasileira, independente de classe social, é contra a CPMF. E, por último, é bom lembrar que a natureza jurídica da CPMF é de imposto, e justamente por isso que ela NUNCA VAI para a saúde! Defender a CPMF é defender a má gestão dos governos.

Rogério de Abreu Soares disse...

Não há como fazer média. Faço 51 anos em fevereiro próximo. Voto nesses cidadãos desde os 18 anos e pago impostos desde a mesma época. NINGUÉM deste mundo (e do outro também) vai me convencer que este imposto pernicioso é para a saúde. Os reajustes dos vampiros governistas se avizinham. Os gastos com certeza continuarão mais e mais. Realmente a CPMF (ou seja lá o nome que derem agora) fará falta à esse bando hematófago. Podem fuçar minha conta bancária, meu IR, meus e-mails, minhas chamadas telefônicas, minha cueca..., só não me assombrem com mais um imposto. Políticos pagam CPMF? Políticos pagam plano de saúde? Políticos vão ao SUS? E ainda reclamam que há 4 anos não têm reajuste. O Brasil não precisa de mais impostos. O Brasil e os brasileiros precisam de respeito próprio. O problema é que a maioria do povo (e não me venham com o "politicamente correto"!), no lugar dos políticos, faria a mesma coisa! Realmente cada povo tem o governo que merece. Imposto ô cacete!

Pura Reflexão disse...

Caro Shasça. Não acho que seja tão simples assim. Podemos dizer que existem interessados em não pagar impostos por uma questão de irresponsabilidade e desejo de sonegar, certamente eles não representam a maioria, esteja certo disso. Da mesma forma, existe uma verdadeira orgia com nossos impostos e aí estão os contingenciamentos e as utilizações indevidas de forma eleitoreira. Paulo Paim do PT, que é do próprio governo fez ontem duras críticas à utilização das verbas pelo governo, num apoio explícito à não criação de mais impostos. Citou exemplos como da Inglaterra, França e Chile, países que RETORNAM COM QUALIDADE os impostos para o povo e apresentam tributação 1/3 da nossa.

Peço que leia:
Chega! http://purareflexao.blogspot.com/2010/11/chega.html

e

http://purareflexao.blogspot.com/2010/11/campanha-baixa-taxa-baixataxa.html

Parabéns pelo espaço democrático!

José Cláudio
(@PensadoresFalam)

Alexandre FC Mendonça disse...

Desde quando que para rastrear dinheiro para combater sonegação é necessário tributar a movimentação financeira? Este éo argumento mais ralo de defesa da CPMF. A informática é bem mais inteligente que isso. Do dinheiro que um pai recebe e quer dar a seus filhos para aplicarem numa poupança, por exemplo, o governo abocanha duas vezes. Desculpe-me, mas não sou tão burro como o governo e seus comparsas pensam.

Daniella Marques disse...

O fim do CPMF só fez aumentar o IOF... Concordo com o nosso futuro Governador Anastasia, sou a favor de um CPMF reajustado, ou melhor CMF, porque acabaria logo com essa bagunça de cobrança provisória, esse "tira daqui, aumenta lá".