27 novembro, 2016

BOA VIAGEM, FIDEL!


Você aí, que comemora a viagem de FIDEL CASTRO, sabe quem é FULGÊNCIO BATISTA?
Enquanto busca a resposta, experimente refletir sobre quantas pessoas ficarão tristes quando chegar tua vez de viajar, quantas tecerão loas à sua existência. Esta pode ser uma das maneiras de medir a importância deste que você tenta tripudiar.
Tripudiar à distância, é claro. Frente a frente, não se tem notícia de que alguém o tenha feito. Até tentaram inúmero atentados – redundando para amenizar o papo. Seguindo a rima, todos foram frustrados.
Por teclar em rima, publico mais uma vez este poemeu que dedico às pessoas da estirpe de El Comandante. Aliás, olhando a imagem acima, posso bem imaginar que sua expressão ao ler o poema seria semelhante.


NÃO CARA-PÁLIDA!

sei que só
não salvarei a tribo
mas não serei o batedor
que dirá à cavalaria
qual é a melhor hora para o ataque

não me cativam
teus espelhos e contas de vidro

Obviamente, a trilha sonora da viagem só pode ser Guatanamera, na voz de seu autor JOSEÍTO FERNANDEZ:



Ps.: saiba mais clicando nos HYPERLINKS (palavras realçadas).

5 comentários:

Magra Cidológica disse...

Morre o homem e fica a fama!
Nenhum de nós partirá da Terra sem ouvir... Alguns dirão: Era uma pessoa boa... Outros: Não valia nada. ��

Paulo Paterniani disse...

bravo mano Shasça!!

Sonia disse...

Na vida assim como na morte, eu penso que temos que mostrar o que somos, o que o outro foi ou fez não nos cabe julgar. Comemorar a morte de alguém é pra mim triste. Não queria ver o ser humano reagir assim. Expresso o que penso.

Dida Pazetti disse...

Meu amigo Shasça, informação é um artigo caro! Há que se estar disposto a pagar por ela...

Maristela Pazetti disse...

Que buniteza esse o seu poemeu!Adorei!!! Fidel fica pra história, mas como herói ou mocinho, depende do freguês. Em vida, nunca foi unanimidade, não seria agora!
Beijo pra vc!