10 março, 2008

CRITICAR, CRITICO!

Susanna, e demais caras e caros.
Criticar, critico tudo o quê me dá vontade. Minha agora é onde alcanço. E vc sabe que criticar não é falar mal disto ou daquilo.
Costumo assistir o programa, sempre que tou em casa nas noites em que é apresentado. Interessa-me saber o que todo tipo de pessoa pensa. Meu viver é totalmente dependente do viver de todos os seres e estares. Chamo-o de PROGRAMA DE CONCORDATES porque, embora seja anunciado como um programa de debates, rarissimamente convidam pessoas com opiniões opostas. O normal é ficar só na base de comentários concordantes. Assim como o Roda Viva, que também gosto. Curto mesmo é o PROVOCAÇÕES. Por que será? {8¬)
Quanto ao que eles disseram, e aí vai minha opinião sobre a academia, principalmente, sobre a postura dos profissionais das ciências humanas, não sou tão cruel ao ponto de querer que a professora de direito internacional (não me lembro o nome) vá enfrentar aquela mosquitada amazônica; muito menos, balas de verdade. O que quero é que um(a) analista como ela deixe claro que está falando de guerrilheiros sem saber o que é ser guerrilheiro; que só pisa na lama quando vai passear na chácara ou o Pirajussara invade seu caminho.
Às vezes, incomoda-me ver alguém que não deve ter coragem de ir caminhando à padaria depois que escurece chamando presidentes, bem ou mal escolhidos pelos seus eleitores, de medíocres. Sabe lá ela o que é ser, ao menos, vereador em Xirica dos Confins? É, ao menos, síndica do seu condomínio ou participa da associação de moradores do seu bairro?
Pode-se gostar ou odiar bushes, sadams, bin ladens, malufes, papas bentos, madres terezas, serras, lulas e jkzes. A questão é deixar claro que nunca se sentou naquela cadeira ou teve que decidir se o avião deve levar bomba ou remédio. E opinar a partir daí.
A capa da Veja diz que Fidel já vai tarde. O cara que escreveu, os editores que aprovaram a publicação, têm peito pra ir à Havana e dizer isto, pessoalmente, ao cabôco barbudo?
Jornalista – e estou generalizando, é igual fiotão criado com a avó, como se diz no interior de SP: se alguém diz que não gostou do que ele escreveu, que tem de ser responsável pelo que escreveu já fica todo melindroso: “olha que vc não está respeitando a liber(impuni)dade de imprensa!”
Costumava dizer ao meu irmão Patinho, quando convivíamos de perto, que um biólogo, normalmente, só sabe como é uma borboleta quando ela está espetada numa daquelas besteiras de primeiroanista chamada insetário. Ou, então, fatiada na lâmina de um microscópio. A borboleta está uma borboleta quando, entre outros momentos, voa pela mata, pousa numa flor ou estaciona na boca de um sapo.
Simplificando, é como um agente de saúde pública, não importa o cargo, portando uma carteirinha de convênio médico.
Pra amenizar, segue uma brincadeirinha sobre o tema.

[ ]’s
{8¬)

critico

o criticar não é o não gostar

o olhar da criança
à colher de papa oferecida
anterior ao se decidir
por engolir ou não
nem sempre é birra
bem pode
já ser um postar-se criticamente




floripa, beiramar, 07/05/05

4 comentários:

História em Pauta disse...

ah! nem sei se a papa era boa!
mas gostei do papo da cri-criança!
cri-crítico que é crítico
não entisica nem titubeia, critica!

agora... as fotos ali em cima...
sem palavras... não?
já tinha visto na folhasp
e achei bem oportuno
topar com elas por aqui
valeu a lembrança
desde aquela dos 500 anos
que não via uma cena assim
tão lamentável...

Anônimo disse...

My Dear Humpty Damp
NÃO TÁ FÁCIL, MAS TAMBÉM NÃO ESTA DIFCIL foi o que o ovo acima disse até que caiu na real e se quebrou.
Eu não posso dizer nada sobre esses programas de tv pq não os assisto. Por principio.
Agora querer dizer que prá entender de merda tem que pisar na merda, tem que comer merda, sorry!!!! Não concordo.
E também creio que as borboletas não se espetaram sózinhas e se seu irmão Patinho só conhece borboletas espetadas ele perdeu uma vida toda a ver sem sentido, sem beleza, o morto.
Quer dizer que é diferente fazer criticas e dizer coisas aqui no seu blog e na Veja????? No seu blog vc vai mineira mente enfrentar o desafeto, faca em mão, machão e dizer: "olha que vc não está respeitando a liber(impuni)dade de imprensa!
Onde começa a sua e termina a deles??? No seu moto do MSN: "NÃO TÁ FÁCIL, MAS TAMBÉM NÃO ESTA DIFCIL"
Eu não me julgo mediocre e felizmente nunca tive de sentar na cadeira de ninguém, por isso voto e e persigo meu votado, mas cobro dele enquanto sociêdade ser responssável por seus atos e atitudes mas não me incomoda se alguém tem medo de ir a padaria depois de escuro, o que me incomoda é a falta de disposição de mudar isso tudo e ficar vendo tv em vez de ir a padaria.
Jornalista????? e o que vc é aqui nesse blog? Blogueiro?
Quer dizer que os Jornalista que tem Blogs estão forra dessa sua classificação generalizada?
É uma espécie nova??? Tai, que merda, vamos precisar da maldita academia (que pelo visto vc não bate bicos facilmente) prá definir os limites de quem é quem e quais as implicações. Ou vc vc vai ser a a academia e decidir?


Abraços

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Shasça disse...

Quem será este ser procurnte? {8¬?