18 agosto, 2006

minerim

... e tudo vou rompendo com meu sorriso
mineiro jeitim de mexer nas montanhas
sabedor que elas contêm
mas não são
de ferro

Floripa, +/- 2004

Um comentário:

Clarissa disse...

Quem conhece o Shasça - e não é preciso muito tempo pra isso - sabe que ele está espalhado nas poesias que escreve. Os sorriso e jeitim são indiscutivelmente mineirim. E esse é o charme dele e das poesias.
Ele vem de mansinho e com carinho segura pelo braço e mostra: "tá vendo irmão, o mundo é esse, o mundo é assim...as coisas são assim e não são complicadas! nada é complicado, por isso, sorria!"
O Shasça é mineirim, é exposto pra tu vê, é cujo, é passional, é pastoral, é sexual, é crítico (e como é!!), é movido a florais do mar, espera sem dizer que espera, é carne de pescoço...macia, é simplesmente...o Shassa, o Shasca, o Shasça!