13 dezembro, 2007

TIÃO ROCHA AVIVA O RODA

Assisti, neste 10/12/07, a um Roda Viva bacana onde o entrevistado foi Tião Viana. Um cabôco que leva educação a sério e não chiando feito guri que perdeu a chupeta, como é o caso de Cristovam, outro Buarque. Também foi bacana ver meu ifichiano colega Fernando Rosseti (dos que mais perguntaram) na banca de entrevistadores.
Abro parêntesis pra escrever que me encabula a forma tucana de só convocar entrevistador que concorda com as opiniões do entrevistado, o mais das vezes.
Entre tantas outras colocações, Tião diz que o professor é o único profissional que está com seu cliente, o aluno, todos os dias.
Nisso, já não concordo com ele. O professor é único empregado que cria o seu patrão, às vezes, desde o berçário. E, ao invés de aproveitar esta convivência para conquistar-lhe a simpatia e revelar sua importância para sua vida toda, prefere fingir que educa e gastar em reclamações o tempo que deveria investir nesta vital relação. Alguém aí dentre os visitantes blogais concebe uma passarinha fingindo que ensina o filhote a voar? Pois o humano é capaz de tanto.
Crescido o guri, quando não é deletado pela natureza ou pela seleção social, torna-se eleitor. Eleitor, vota, geralmente, no prefeito, governador ou presidente que vai fingir que paga o professor. E por aí vai...
Claro que estou generalizando, pois a sorte me sorriu com, por exemplo, Dona França. Diretora do Grupo Escolar Wenceslau Brás, em Passos – MG, sempre em seu vestido preto e cabelos branquinhos era a seriedade em pessoas. E muito lhe agradeço pelo castigo que me infligia devido ao meu exemplar, pelo avesso, comportamento: enquanto ela encerrava o expediente depois das aulas eu ficava sentadinho a ler e, antes de sairmos, tinha que comentar o que tinha lido. Sua benção, Dona França!
Quem quiser saber mais sobre o fantástico trabalho de Tião e sua valente equipe acesse:
http://www.cpcd.org.br/
Há também uma entrevista publicada no FOLHAONLINE:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u348104.shtml

Fico a pensar em Sophia que, aos seis anos, já iniciou uma série de seis livros sobre a rena Celina e já planeja uma série de cinco livros sobre golfinhos: tão distante do Tião e sua semeadura...
Quem é Sophia? Mistério...
Ps.: ao procurar fotos da escola onde fiz o curso primário, encontrei esta no http://www.guiapassos.com.br e fiquei mais feliz ao saber que ela foi tombada e passou a ter o nome de Escola Municipal Francina de Andrade. Como diz Dona Mareca: pé de galinha não mata pinto.

2 comentários:

Anna disse...

sua leitora agradece a dona frança também!
maravilha de post meu querido, obrigada.
grande beijo!

Rubens disse...

vc fica bem falando de reminiscências...a idade realmente comete essas benesses...

Sobre a CPMF já discutimos o suficiente..mas aquelas sessões do Senado são, realmente,inspiração para Salvador Dali nenhum botar defeito.