05 setembro, 2006

ENQUANTO ISTO, NO PORÃO...

- Lavar o convés?
Hummm... Sim, Senhor...
Ah, sim... prá mim vai ser muito bom
aprender mais uma outra lição
de como viver neste maravilhoso barco.

“O cara de pau fala que nem pai:
‘- Você precisa aprender, meu filho.
Um dia você ainda vai me agradecer.

Ah, filho da puta!

Muito bom!
C’est très chic, M’sieur!
Morar no porão,
cuidar da boa aparência do convés,
e sair na porrada com ratos e baratas
pelas sobras do banquete.
Ai, a felicidade dos deveres!
Direitos?
Hummm! pois sim, os direitos...
Só um:
lamber botas dia e noite
e lamber de várias maneiras,
que todo Senhor é excêntrico: odeia rotina.
Ora, meu caríssimo amo,
como diz minha amiga Giselda,
vai-te à merda!
O quê? Estás espantado?
Vai à puta que te pariu!
Tu e tua democracia de merda.
De agora em diante, eu quero é a
pirataria e, prá arredondar,
a putaria:
que as donzelas da Corte sejam como
as pretas e as índias:
pau que dá em xica e ceci,
dá em lady di!
E quer saber d’uma coisa, ô...”

- AO CONVÉS! AO CONVÉS!!!
- S-sim, S-s-senhor...

“Ah, um dia ainda vôo nesta goela
e faço o Senhor engolir estes dentes.
Ah, se...”

- ÉS SURDO, Ô FILHO DA PUTA?!

- T-tô indo!

2 comentários:

Lygia disse...

Lembra-se daquela charge dos tempos da ditadura: "só dói quando eu rio"? ... É isso!
Vou passear aqui de vez em quando.

Anônimo disse...

Eu li esta matéria, e assim como vc meu caro amigo, pouco me lixo para a taxa de crescimento ou o nível de risco país, queria apenas que todos tivessem aonde morar, o que comer, livros para ler e tempo para brincar. Mas a sujeirada desses políticos esta na cara, estão esfregando todo dia na nossa cara podridões. Que todos os lados deste esquema podre se deletem, e que as pessoas realmente preparadas tomem conta de um país tão BACANA quanto o nosso.

né?