04 fevereiro, 2009

EDUCAÇÃO PARA TODOS?! - II

Respondo à minha irmã Lucimara:

Um monte de pessoas escolhe o crime como forma de melhorar de vida e, conforme a condição sócio-econômica de cada uma delas, o society condena ou compreende.
Daí, uma pessoa sacaneada por este society decide, e se esforça pra carái, a estudar. Passa, enfim, no tal vestibular pra uma universidade pública (mais de direito que de fato) e o que ganha? Os estatutos e regulamentos de cuja elaboração ela não pode participar lhe são atirados na cara, como se fossem suaves versões dos costumeiros cassetes e bombas de efeito moral.
É de lascar!
{8¬)

Um comentário:

susannah disse...

Olha, numa democracia as leis são para todos, não? Se no manual do candidato estava escrito quais eram os documentos necessários, então com antecedência o candidato deve providenciar tudo. Não sei o que impediu o rapaz da reportagem em providenciar a documentação com antecedência. Num país de desníveis como o nosso, podemos nos sensibilizar pelo esforço desse rapaz em estudar e conseguir uma vaga numa universidade pública. Mas as regras são para todos, sem distinção de raça ou cor. Abrir uma exceção para o candidato, porque ele tem o protocolo de pedido da documentação? A burocracia não é da universidade mas do setor para o qual ele pediu a documentação: 30 dias? Isso é incompetência do setor, poucos funcionários para atender a demanda, etc. Lá no Piauí deveriam expedir logo essa documentação.